Dia de campo no Maranhão apresenta tecnologia ILPF com foco na pecuária

Pesquisadores da Embrapa Meio-Norte, técnicos da Fazenda Barbosa (Brejo, MA) e profissionais da Universidade Federal do Maranhão conduziram cinco estações

Nesta terça-feira (5/7), produtores, técnicos e estudantes puderam ver de perto como funciona o Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta em uma propriedade.

A tecnologia foi apresentada no dia de campo “Importância da ILPF com foco na pecuária para o Leste Maranhense”, realizado na Unidade de Referência Tecnológica (URT) de ILPF na Fazenda Barbosa, em Brejo.

Pesquisadores da Embrapa, técnicos da Fazenda Barbosa e profissionais da Universidade Federal do Maranhão conduziram cinco estações com as seguintes apresentações: “ILPF na Fazenda Barbosa e perspectiva para o Leste Maranhense”, “Benefícios da pecuária para os sistemas integrados, Manejo e plantio da safrinha de milho e forrageiras”, “Consórcio milho e forrageiras e a matéria orgânica do solo” e a última estação que orientou sobre como viabilizar a pecuária no Leste Maranhense.

Foto: Elson Fontenele

O evento teve como objetivo divulgar os resultados positivos da fazenda e incentivar a adoção do sistema ILPF entre os agricultores, pecuaristas, profissionais e estudantes da região.

VEJA TAMBÉM | Evento discutirá papel da carne brasileira em contexto de abastecimento mundial

O dia de campo é uma realização da Rede ILPF, em parceria com a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), uma instituição alemã.

A ILPF é uma tecnologia de produção agropecuária com grande potencial de mitigação de emissões de gases de efeito estufa e sequestro de carbono pelo solo e biomassa, além de uma série benefícios socioambientais e econômicos.

A implementação dos sistemas ILPF variam de acordo com as características de cada região e propriedade.

No estado do Maranhão, atualmente (safra 2020/2021) são 105.012 ha de área cultivada em sistemas integrados, o que corresponde a 2,19 % da área total, revelando a necessidade de promoção da tecnologia para aumento de área.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.