Dia de quedas no mercado brasileiro do boi gordo; cotação em SP vai a R$ 318/@, segundo a Scot Consultoria

Arroba recua em São Paulo e em outras praças pecuárias importantes do País, devido ao ritmo mais cauteloso dos frigoríficos compradores

Nesta terça-feira, 7 de dezembro, os preços do boi gordo registraram quedas entre as principais praças pecuárias do País, fragilizados pela menor procura por animais terminados, informa a IHS Markit.

“Sem apetite para as compras, resultado do avanço das escalas de abate na semana passada, os frigoríficos paulistas abriram o dia ofertando R$ 2/@ a menos para o macho terminado, que agora vale R$ 318/@“, relata a Scot Consultoria.

Por sua vez, as cotações para as fêmeas permaneceram estáveis em São Paulo, a R$ 299/@ (vaca) e R$ 309/@ (novilha).

Segundo a IHS, boa parte das indústrias que voltaram às compras retornaram com menor necessidade de aquisição por disporem de escalas de abate mais confortáveis, o suficiente para atender compromissos para a próxima semana.

Desta forma, neste retorno ao mercado físico, os frigoríficos testaram novas efetivações a valores mais baixos.

“Muitas unidades de abate relataram, que após trabalharem com preços da arroba nas máximas do ano, conseguiram estender as suas escalas”, observa a IHS.

Dessa maneira, a estratégia adotada é cadenciar as compras de gado gordo, à espera de vendas mais consistentes da proteína no atacado/varejo.

SAIBA MAIS | Relação de troca entre boi gordo e milho fica mais favorável ao pecuarista

A maior cautela das unidades de abate também é atribuída ao fato de as vendas externas se mostrarem mais fracas neste período do ano, em função da ausência do mercado chinês.

“Até o momento, não há indícios de quando a China voltará a comprar a carne bovina do Brasil”, diz a IHS, acrescentando que “é possível que a autorização para nova produção de carne bovina com destino ao mercado chinês ocorra apenas em 2022”.

Ainda em relação ao mercado externo, a Secex reportou que a média diária exportada de carne bovina in natura durante a primeira semana de dezembro ficou em 5,29 mil toneladas por dia, volume 18,4% inferior à média de dezembro de 2020, mas um avanço de 23,8% frente à média de novembro de 2021.

A presença de outros mercados consumidores continua auxiliando na retomada dos embarques, mas ainda o desempenho está longe das máximas vistas nos meses anteriores, antes da saída da China, informa a IHS.

Os Estados Unidos, Chile, Rússia, Cazaquistão, Filipinas, entre outros clientes, estão fortes nas compras da proteína brasileira, relata a consultoria.

Na B3, os contratos futuros do boi gordo seguiram em baixa. “A fragilidade dos futuros do boi deve-se à lentidão na ocorrência de novas vendas de gado e a preocupação da cadeia pecuária com relação a capacidade do consumo doméstico em absorver os repasses de custos sem prejudicar o escoamento”, esclarece a IHS.

No mercado atacadista, a terça-feira foi de preços estabilizados.

Segundo a IHS, o fluxo de vendas evoluiu de forma aparentemente mais consistente, o que permitiu a manutenção dos preços dos principais cortes bovinos.

O setor ainda espera algum repique de consumo à medida que avança a primeira quinzena do mês e se aproxime do ápice de consumo em função das festas de final de ano.

Cotações máximas da última terça-feira, 7 de dezembro, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 322/@ (prazo)
vaca a R$ 307/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 315/@ (à vista)
vaca a R$ 292/@ (à vista)

MS-C.Grande:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 293/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 296/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 302/@ (prazo)
vaca a R$ 290/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 305/@ (à vista)
vaca a R$ 292/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 307/@ (prazo)
vaca R$ 298/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 302/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 296/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 325/@ (prazo)
vaca a R$ 307/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 320/@ (prazo)
vaca a R$ 305/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 327/@ (à vista)
vaca a R$ 306/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 327/@ (à vista)
vaca a R$ 306/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 286/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 291/@ (prazo)
vaca a R$ 286/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 293/@ (prazo)
vaca a R$ 286/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 290/@ (prazo)
vaca a R$ 280/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 287/@ (à vista)
vaca a R$ 276/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 296/@ (à vista)
vaca a R$ 284/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 291/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 287/@ (à vista)
vaca a R$ 271/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

No embalo do mercado

Confira os destaques da edição de dezembro; na capa, fazenda da BRPec Agropecuária, com mais de 130 mil ha no MS, trocou o ciclo completo pela cria, mas mantém estrutura para virar a chave se o cenário mudar

No embalo do mercado

Confira os destaques da edição de dezembro; na capa, fazenda da BRPec Agropecuária, com mais de 130 mil ha no MS, trocou o ciclo completo pela cria, mas mantém estrutura para virar a chave se o cenário mudar

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.