Estados Unidos x Brasil

Quem desmatou mais?, pergunta Evaristo de Miranda, comparando um país com o outro no quesito "áreas protegidas". Os EUA dedicam 19,9% de seu território à preservação da vegetação nativa. O Brasil, 66,3%.

Em 2017, a Embrapa Territorial, num trabalho minucioso, mapeou e estimou as áreas dedicadas à proteção, à preservação e à conservação da vegetação nativa no Brasil e chegou a um total de 563.736.030 ha ou 66,3% do Brasil (Fig. 1).

O mundo rural brasileiro é na prática uma sucessão de ilhas e arquipélagos de cultivos e pastagens num imenso oceano de formações vegetais nativas, em diferentes estados de proteção, preservação e conservação. No Brasil, ao contrário do que ocorre na maioria dos países, não é a zona rural que contém manchas de florestas e de vegetação nativa. É a imensa e diversificada área de vegetação nativa quem contém as atividades rurais.

Continue a leitura após o anúncio

A dimensão geográfica dos 563.736.030 ha ou dos 5.637.360 km² destinados hoje no Brasil à proteção, à preservação e à conservação da vegetação nativa representa uma área maior do que a superfície total dos 28 países da União Europeia. E ainda caberia um adicional de 3,6 Noruegas nesse total (Fig. 2).

Cabe repetir: a área total, devidamente mapeada, destinada pelo Brasil à proteção, à preservação e à conservação da vegetação nativa é maior que todo o território ocupado pelos 28 países da União Europeia.
 

A matéria completa está na edição de fevereiro da Revista Agro DBO. Assinantes também podem lê-la na edição digital.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO