Estratégias chinesas representam oportunidade para ampliar relações, diz Mourão

O vice-presidente afirmou que a parceria com a China contribuiu para o aumento da produtividade do agro brasileiro ao longo dos anos

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta quinta-feira, 26, que a parceria entre Brasil e China oferecem “bases sólidas para expandir e diversificar” as relações econômicas entre os dois países. Em evento do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC), Mourão destacou que a China é o maior parceiro comercial do País, quadro que não foi afetado pela pandemia da covid-19. “O governo chinês identifica com clareza a nova dinâmica da economia mundial que alia crescimento econômico e sustentabilidade”, afirmou o vice-presidente da República.

Em sua fala, ele ressaltou a “complementaridade” das economias do Brasil e da China. Segundo ele, as relações entre os dois países se baseiam em oportunidade e estratégia. “Novas estratégias chinesas de economia circular e sustentabilidade representam oportunidade para ampliarmos nossas relações econômicas”, disse. O vice-presidente afirmou que a parceria com a China contribuiu para o aumento da produtividade do agronegócio brasileiro ao longo dos anos, mas ponderou que é preciso analisar novas oportunidades de intensificar relações em outros setores. “Precisamos agora lançar o olhar para o futuro para ampliar e diversificar relações existentes”, declarou.

Nesta quinta-feira, o CEBC lança um estudo sobre as relações entre os dois países, que sugerem a negociação de acordos comerciais e a ampliação da presença de representantes de instituições brasileiras no país asiático. Entre outros pontos, o estudo indica a necessidade de ampliar e reforçar a presença institucional brasileira na China. Mourão é o representante brasileiro na Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban) e participa do lançamento.

Declarações de Eduardo Bolsonaro

Na chegada à Vice-Presidência no período da manhã, Mourão minimizou declarações do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República, Jair Bolsonaro. Elas sugeriram que a China praticaria espionagem por meio de sua rede de tecnologia 5G. O filho do presidente apagou a publicação em suas redes sociais com as acusações. A embaixada da China reagiu ao ocorrido e afirmou em nota que as declarações do deputado “além de desrespeitarem os fatos da cooperação sino-brasileira e do mútuo benefício que ela propicia, solapam a atmosfera amistosa entre os dois países e prejudicam a imagem do Brasil”. Sobre o assunto, Mourão disse que a posição do filho do presidente se trata apenas de uma “declaração” e que a Comissão de Relações Exteriores da Câmara, presidida por Eduardo Bolsonaro no ano passado, não faz parte do governo.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Sou pecuarista e esse frigorífico é meu

Leia a Revista DBO que encerra o ano de 2020. Ela conta a mais nova façanha da Cooperaliança, a primeira cooperativa a verticalizar a cadeia da carne bovina, além de trazer outras 25 reportagens e artigos.

Sou pecuarista e esse frigorífico é meu

Leia a Revista DBO que encerra o ano de 2020. Ela conta a mais nova façanha da Cooperaliança, a primeira cooperativa a verticalizar a cadeia da carne bovina, além de trazer outras 25 reportagens e artigos.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.