Exportação de carne deve ser a maior da história em 2019

Segundo Abiec, o faturamento com as vendas externas de carne bovina deve atingir US$ 7,5 bilhões

As exportações brasileiras de carne bovina, incluindo a proteína in natura e processada, devem bater o recorde de 1,83 milhão de toneladas em 2019, aumento de 11,3% ante o volume embarcado no ano passado. O faturamento com as vendas externas deve atingir US$ 7,5 bilhões, 13,3% maior que o registrado um ano antes.

Segundo estimativa da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), divulgada nesta terça-feira, o resultado foi impulsionado pela demanda chinesa.

No acumulado de janeiro a novembro de 2019, as vendas registraram um volume de 1,673 milhão de toneladas, avanço de 12,33% em relação ao mesmo período de 2018. Em faturamento, o crescimento foi de 12,6%, com um total de US$ 6,748 bilhões. No mês de novembro as exportações somaram 179.948 toneladas, volume 13,8% acima do mesmo mês de 2018. Já em faturamento, o mês cresceu 36,7% e fechou com US$ 847,544 milhões.

Para o presidente da Abiec, Antônio Jorge Camardelli, o resultado positivo desse ano deve-se, principalmente, à ampliação de mercados consolidados. “O crescimento das exportações em mercados importantes mostra a qualidade e competitividade da carne brasileira, além da confiança dos mercados internacionais no nosso produto”, analisa.

Em 2019, a China se consolidou como o principal destino da carne brasileira, respondendo por 24,5% do total exportado pelo País. No acumulado de janeiro a novembro, as exportações para a China somaram 410.444 toneladas, crescimento de 39,5% ante o mesmo período de 2018.

Em receita, o crescimento foi de 59,75%, com um total de US$ 2,171 bilhões. Ao todo, o Brasil enviou carne bovina para 154 países e, além de China, Hong Kong e Egito foram os principais compradores do produto nacional.

Expectativas

Com base nos resultados positivos registrados em 2019, a estimativa da entidade é que o ritmo de crescimento se mantenha em 2020, puxado pela possível habilitação de novas plantas para a China e pela abertura de novos mercados.

Com isso, a expectativa é de que os volumes exportados cresçam 13%, alcançando 2,067 milhões de toneladas. Em relação ao faturamento, a projeção é de um crescimento 15%, com receita de US$ 8,5 bilhões.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.