Exportações do agro paulista ultrapassa US$ 1 bilhão em janeiro

Segundo o IEA-Apta, a participação das vendas externas do agronegócio paulista no total do Estado é de 37,4%
Foto: Pexels

O agronegócio do Estado de São Paulo faturou 3,8% a mais com exportações em janeiro, alcançando a soma de US$ 1,08 bilhão. Além disso, apresentou queda de 11,6% nas importações, com o equivalente a US$ 0,38 bilhão importado. Desta forma, o superávit da balança comercial do agronegócio paulista em janeiro foi de US$ 0,70 bilhão, valor 14,8% superior ao de igual período de 2020. As informações são do Instituto de Economia Agrícola, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (IEA-Apta), em nota.

O instituto cita, ainda, que a participação das exportações do agronegócio paulista no total do Estado é de 37,4% – em janeiro São Paulo embarcou para o exterior, entre todos os setores, o equivalente a US$ 2,89 bilhões. Já as importações alcançaram US$ 4,43 bilhões, com déficit comercial de US$ 1,54 bilhão. O saldo da balança comercial paulista, entretanto, teve redução de 24,5% no déficit em janeiro ante igual mês de 2020. “O déficit do comércio exterior paulista só não foi maior devido ao desempenho do agronegócio estadual, cujo saldo se manteve positivo”, destaca o IEA-Apta.

O instituto informa também que, por grupos de produtos, os principais setores exportadores em janeiro foram complexo sucroalcooleiro (US$ 406,76 milhões, sendo que deste total o açúcar representou 88,2% e o álcool, 11,8%); do setor de carnes (US$ 142,37 milhões, dos quais a carne bovina contribuiu com 88,4%), seguido do grupo dos sucos (US$ 137,31 milhões, dos quais 98,5% referentes a sucos de laranja); dos produtos florestais (US$ 121,89 milhões, com participação de 51,4% de papel e de 34,5% de celulose) e do café (US$ 59,15 milhões, dos quais 75,1% referentes ao café verde). “Esses cinco agregados representaram 80,0% das vendas externas setoriais paulistas”, informa a nota.

Ainda de acordo com o IEA-Apta, em janeiro, em comparação com janeiro de 2020, houve importantes variações nos valores exportados dos principais grupos de produtos da pauta paulista, com aumentos para os grupos do complexo sucroalcooleiro (+32,4%), sucos (+23,4%) e café (+50,3%), e quedas para carnes (-12,9%), produtos florestais (-24,7%) e complexo soja (-92,4%). “Essas variações nas receitas do comércio exterior são derivadas da composição das oscilações tanto de preços como de volumes exportados”, finalizou.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

As apostas são altas para o futuro da produção de carne no Brasil. Veja o que dizem as lideranças ouvidas para o Especial Perspectivas 2021 do Anuário DBO. Assista:

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.