Frigorífico da JBS em Rondônia é interditado após casos de Covid-19

Em junho do ano passado, a reportagem da DBO esteve em São Miguel do Guaporé e visitou a unidade. Confira

A unidade frigorífica de carne bovina da JBS em São Miguel do Guaporé, RO, foi interditada por decisão liminar judicial emitida na quarta-feira, 27 de maio, depois que casos de Covid-19 foram confirmados entre funcionários da empresa. Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Rondônia, 60% dos casos da doença já apurados no município estavam vinculados à JBS. A capacidade de abate da unidade é de 900 animais por dia.

Sala de desossa, antes da pandemia, de acordo com as regras sanitárias. Foto: DBO

Procurada pela DBO, a assessoria da JBS enviou como resposta ao caso de interdição da fábrica em Rondônia uma declaração genérica sobre as ações de combate ao vírus mortal, sem, portanto, mencionar a decisão judicial do MPT.

Continue a leitura após o anúncio

“A companhia ressalta que desde o início dessa pandemia tem adotado um rígido protocolo de prevenção contra a Covid-19 em suas unidades”, disse a JBS, em nota enviada por e-mail.

Segundo nota divulgada ontem pela agência Reuters, o juiz trabalhista Wadler Ferreira disse, em comunicado, que a unidade da JBS na cidade de São Miguel do Guaporé “é a principal fonte de contaminação e propagação” da Covid-19 e que “a empresa tomou medidas insuficientes para combater o vírus”.

Funcionários no desmonte do boi. Foto: DBO

Segundo determinação do tribunal, a JBS terá de manter o frigorífico fechado até que realize testes tipo PCR para covid-19 em todos os seus empregados, estando sujeita ao pagamento de multa de R$ 500 mil por dia em caso de descumprimento.

Na manhã de hoje (28/5), o  prefeito da cidade, Cornélio Duarte de Carvalho, decretou isolamento social rígido, o chamado “lockdown” em todo o município. Com a medida, apenas serviços essenciais passam a funcionar e a circulação dos cidadãos fica restrita.

JBS em São Miguel do Guaporé

O município de São Miguel do Guaporé, de 22 mil habitantes, está 500 km ao sul da capital Porto Velho. É o mais importante dos municípios da região do Vale do Guaporé, com destaque na produção de leite, café e grãos, entre eles arroz, soja e milho. Mas desde 2012, quando a JBS assumiu a unidade frigorífica do grupo Guaporé (juntamente com as plantas de  Colíder, Juína e Confresa, em Mato Grosso), a empresa passou a ter um peso grande na economia local.

Unidade da JBS, adaptada para receber produção de pequenos pecuaristas. Foto: DBO

No ano passado, uma reportagem da DBO (confira o link abaixo) visitou a unidade de São Miguel do Guaporé, no qual a JBS instalou o coração de seu projeto com pequenos pecuaristas rondonienses que integram o programa Programa Selo Combustível Social.

Instituído pelo governo em 2005, o programa somente permitiu a inclusão de sebo bovino a partir de 2017. Atualmente, a JBS assiste a 280 pequenos pecuaristas da região, integrados ao selo. A indústria frigorífica, classificada como serviço essencial, estava em operação especial, de acordo com a empresa que no mês passado divulgou as medidas tomadas em sua unidades.

 

Leia a reportagem da DBO, no link abaixo, sobre a unidade de Rondônia

JBS investe em selo social

 

 

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO