Febre aftosa: Entrega da declaração de vacinação em SP vence em 1º de julho

Bovinos e bubalinos de todas as idades devem ser imunizados entre os dias 1º e 31 de maio no estado
Foto: Divulgação / SAA

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA) estendeu até 1º de julho a entrega da declaração da vacinação contra a febre aftosa do gado bovino e bubalino em todo o estado. Já o período para realização da campanha de vacinação está mantido entre os dias 1º e 31 de maio.

+ 1ª etapa de vacinação contra febre aftosa será mantida
+ Saiba quais são os cuidados que se deve ter na pecuária de corte com a Covid-19

De acordo com nota divulgada à imprensa, a comprovação da vacinação deverá ser realizada, preferencialmente, por meio eletrônico, como no caso do sistema GEDAVE (Gestão de Defesa Animal e Vegetal).

“Considerando que muitos produtores ainda procuram o atendimento presencial dos escritórios de Defesa Agropecuária para o auxílio nessa demonstração, a secretaria resolveu prorrogar o prazo para evitar o contágio pelo Covid-19”, informa a SAA.

O site de acesso é https://gedave.defesaagropecuaria.sp.gov.br/. Para o lançamento da comprovação da vacina no sistema, o usuário deve estar devidamente vinculado à Atividade Produtiva e com seu cadastro de pessoa física ativo. O usuário deve acessar o menu ‘Área Animal’ > Controles > Controle de Vacinação > Declaração de Vacinação – Febre Aftosa > Vacinação (etapa vigente).

A pasta recomenda que as entidades representativas dos produtores e das revendedoras agropecuárias se organizem para que a vacina contra a febre aftosa seja adquirida por telefone ou outro meio de comunicação à distância, com entrega na propriedade rural.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.