Festas natalinas tiveram menos sobremesas em MT

Boletim do Imea revela que leite UHT e condensado tiveram redução de preços na virada de ano; consumo foi menor que esperado
Foto: Visual Hunt

Com as festas de final de ano, as expectativas eram de que uma maior demanda pelos derivados do leite que são utilizados em sobremesas pós-ceia elevaria os preços. Contudo, as médias das cotações do varejo de dez/19 em Cuiabá em relação a nov/19, do leite UHT e do leite condensado, apresentaram quedas de 2,31% e 5,80%, respectivamente. 

Dentre os produtos utilizados nas sobremesas, apenas o preço do leite em pó apresentou aumento no mesmo período, de 2,51%, e o creme de leite permaneceu estável. Isso indica que a demanda por lácteos não reagiu como o esperado, mesmo com a entrada do 13° salário. Além disso, por causa das férias escolares, o consumo dos principais derivados reduziu, e isto, aliado ao aumento na oferta, pressionou as cotações e estreitou as margens dos varejistas. Apesar disso, produtos como a manteiga e queijos tiveram acréscimos em seus preços, devido aos estoques moderados no estado.

Continue a leitura após o anúncio

O preço do leite pago ao produtor em nov/19 ficou praticamente estável, a R$ 1,09/l. Isto porque, apesar do aumento na oferta, o nível de captação ficou aquém do esperado pelas indústrias, o que promoveu sustento nas cotações.  Novamente, a captação de leite no estado apresentou expressivo aumento de 14,34% em nov/19, em relação a out/19, por causa do período chuvoso. Todavia, no comparativo anual, a oferta de leite está 6,18% menor. No fechamento de nov/19, o poder de compra do pecuarista ficou mais restrito, devido ao aumento nos preços do farelo de soja, caroço de algodão e milho, o que elevou a relação de troca do leite com esses insumos.  

Leite x arroba: O mercado da pecuária leiteira em Mato Grosso em 2019 foi marcado por aumentos no preço do leite no início do ano e tendência de queda no 2° semestre. Já na bovinocultura de corte, as cotações alcançaram recordes nominais, e os reajustes mensais na arroba foram superiores aos observados no preço do leite, pois observou-se um pico de 34% na arroba e queda de 4% no leite em nov/ 19. Com isso, parte dos produtores de leite está aproveitando o momento para descartar suas matrizes a fim de aproveitar os preços atrativos da pecuária de corte e obter receita extra. Isto é um sinal de alerta para a cadeia, visto que pode afetar a produção de leite no campo em 2020. Por outro lado, há a perspectiva de retomada na economia, e, portanto, melhora no consumo de lácteos no país. Assim, caso esse cenário se consolide tanto no âmbito da oferta quanto no da demanda, os produtores que continuarem na atividade poderão desfrutar de um ano melhor do que foi 2019.

Fonte: Imea

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO