Fórum Metano na Pecuária reúne especialistas para debater o caminho para a neutralidade climática

Evento patrocinado pela JBS reuniu palestrantes que trouxeram uma visão mais positiva sobre o que circunda o universo do principal gás emitido pelos bovinos.

 

Com auditório lotado nesta manhã de quarta-feira, 4 de maio, para o Fórum Metano na Pecuária, Michele Battaglia, vice-presidente da Silvateam, destacou que, cada vez mais, o assunto sustentabilidade ocupará a agenda dos cientistas do mundo na busca de soluções que, ao mesmo tempo em que reduzirão as emissões de gases de efeito estufa, propiciem aos consumidores proteína da melhor qualidade.

Esse foi o foco das discussões do evento promovido por Silvateam e JBS, que ocorre até amanhã no Hilton Hotel, em São Paulo. O objetivo do Fórum, que contou com a presença de palestrantes nacionais e internacionais de renomadas instituições, é promover o debate sobre os meios que a pecuária brasileira tem à disposição para enfrentar o desafio de reduzir suas emissões daquele que é o principal gás emitido pelos bovinos: o metano entérico.

Frank Mitloehner, professor da Universidade California Davis, dos EUA, apontou que o metano, se manejado adequadamente, se transformará em oportunidade de negócio para a pecuária. “Um quarto do planeta é de terra, e dois terços dessa terra são ocupados por áreas de pastagem, em que não é possível cultivar alimentos. Por isso, é fundamental que a pecuária faça parte da solução”, frisou. Mitloehner destacou que o ciclo do metano na atmosfera é bem mais curto que o do gás carbônico – dez anos e mil anos, respectivamente. Portanto, iniciativas que ajudem a reduzir as emissões de metano entérico terão impacto significativo e imediato frente às mudanças climáticas.

Alexandre Berndt, pesquisador e chefe geral da Embrapa Sudeste, ressaltou que a remoção de carbono do solo – por meio da recuperação de áreas degradadas e implantação de sistemas integrados, como a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) – é que colocam o Brasil como parte da solução. “Nos fóruns internacionais, não querem colocar isso na conta. Mas não podemos aceitar; temos de insistir”, recomendou.

O CEO global da JBS, Gilberto Tomazoni, falou sobre o compromisso da empresa de zerar o balanço líquido de suas emissões de gases de efeito estufa até 2040. “Neutralizar as emissões de toda a cadeia produtiva é o grande desafio a ser enfrentado por todos. É por isso que assumimos o compromisso Net Zero.”

Marcela Rocha, diretora-executiva de Assuntos Corporativos da JBS, abriu o evento destacando que a empresa não tem todas as respostas para chegar ao Net Zero. “Mas sabemos que o conhecimento é que nos levará a vencer o desafio de descarbonizar a produção nas fazendas, responsáveis por mais de 90% das nossas emissões”, observou.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

As apostas são altas para o futuro da produção de carne no Brasil. Veja o que dizem as lideranças ouvidas para o Especial Perspectivas 2021 do Anuário DBO. Assista:

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.