Gestão e controle, os primeiros passos

Marcelo de Rezende: A falta de indicadores não nos permite compreender onde estamos e prever onde estaremos no futuro

Por Marcelo de Rezende*

Qualquer atividade precisa ser conduzida com um mínimo de gestão e controle, principalmente uma atividade complexa e de longo prazo como a produção de leite. Nas fazendas nas quais não há nenhum tipo de escrituração ou anotação de eventos zootécnicos e econômicos, o gerenciamento adequado se torna impossível, fazendo com que o produtor não consiga visualizar sua real situação e nem perceba para onde está caminhando. O mesmo ocorre com o técnico que, sem parâmetros para trabalhar, acaba atuando às cegas.

Infelizmente, essa é a realidade da maior parte das fazendas leiteiras no Brasil, onde os índices produtivos não são controlados ou dimensionados pelo simples fato de que nada é anotado ou controlado. No livro Produção de leite: conceitos básicos, publicado pela Fealq em 1988, o professor Vidal Pedroso de Faria – certamente um dos maiores conhecedores da gestão eficaz de fazendas leiteiras – faz uma afirmação muito interessante: “Quando o técnico e o fazendeiro começam a utilizar índices para analisar a estrutura de produção, eles criam um padrão que pode ser comparado com números publicados por outros indivíduos, e dessa maneira serão capazes de detectar problemas, apontar virtudes e fazer progresso. Outra vantagem de se trabalhar com índices diz respeito à possibilidade de se conhecer o potencial de produtividade a ser atingido em determinado sistema de produção. Quando não existe termo de comparação, fica muito difícil estabelecer julgamento apropriado e muito mais complicado ainda propor mudanças nos conceitos estabelecidos pela tradição”.

Essa afirmação demonstra o quanto é difícil o convencimento da necessidade de mudança, quando não se têm na atividade informações que possibilitem comparações entre um período e outro ou entre uma fazenda e outra. Diante de tal situação, o produtor prefere seguir acreditando que deve fazer aquilo que sempre fez e não o que seria correto fazer caso fosse confrontado por informações seguras sobre seu negócio. A falta de indicadores não nos permite compreender onde estamos e muito menos prever onde estaremos no futuro. Nessa situação, a obtenção de metas e objetivos passar ser uma mera obra do acaso.

A boa notícia é que algumas anotações básicas podem promover um grande avanço gerencial. A escrituração de eventos econômicos, como receitas e despesas, aliada à anotação de eventos zootécnicos do rebanho como partos, coberturas e controle leiteiro, permite a geração de um conjunto de informações de grande importância para a gestão. Além da obtenção de índices da atividade, o processamento desse conjunto de dados permite também que sejam oferecidas outras informações de grande importância, como a sobra mensal de capital disponível para a sobrevivência da família que vive exclusivamente da renda da produção de leite, por exemplo.

*Engenheiro agrônomo especializado em sistemas intensivos de produção de leite e corte e diretor-presidente da Cooperativa para Inovação e Desenvolvimento de Atividade Leiteira (Cooperideal), e-mail [email protected]

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on email
Email
Share on pocket
Pocket

Veja também:

Um panorama da pecuária do norte do MT

Última etapa do “Acrimat em Ação 2019”, acompanhada por DBO, visitou municípios do norte do MT, onde os pecuaristas lidam com estradas ruins e insumos caríssimos. Em alguns locais, o valor do calcário é quase proibitivo. 

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.

Sobre o autor

Menu

Invista no básico bem feito

Pecuaristas, mesmo tecnificados, ainda pecam no manejo por não fazer planejamento, estabelecer metas e criar calendário de ações.

Café com frio

Especialista dá dicas de como evitar problemas com o frio no cafezal, cultura que gosta de “cabeça quente e pés frios”

Fechar Menu
×
×

Carrinho