Governo chinês emite alerta para novos surtos do coronavírus em áreas rurais e aplica medidas

O governo pede que as autoridades regionais formulem planos de trabalho e implementem medidas que fortaleçam a gestão de fazendas e áreas de produção familiar no combate à pandemia
Homem em local de vacinação contra a Covid-19 na China. Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

O Escritório Geral do Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China emitiu um aviso aos departamentos agrícolas locais para que mantenham medidas de prevenção em regiões de “alto risco de epidemia do novo coronavírus”, mas que continuem a produção “estável”, assim como o abastecimento de produtos de origem animal.

O governo chinês informou o surgimento de recente surto de pneumonia provocada pelo novo coronavírus em áreas rurais e urbanas de Hebei, Jilin, Heilongjiang, além de outras regiões, e destacou as dificuldades na produção e operação de algumas fazendas. Esses territórios pertencem às cinco áreas em que foram impostas novas medidas de isolamento, anunciadas pela administração central, na segunda-feira.

Segundo o comunicado divulgado no site oficial do ministério nesta quarta-feira (20/1), o governo chinês conclama autoridades regionais das áreas de médio e alto risco a formular planos de trabalho detalhados e implementar medidas para fortalecer a gestão de fazendas e áreas de produção familiar no combate à pandemia de covid-19, e, ao mesmo tempo, “resolver as dificuldades e problemas encontrados na produção para promover o desenvolvimento estável e ordenado da pecuária” no país.

As aldeias que apresentam casos de covid-19, nas áreas de médio e alto risco, devem providenciar testes em massa para quem trabalha com animais. A entrada e saída de pessoas dessas regiões produtoras passa a ser controlada, principalmente no manejo de gado e aves, alerta o ministério.

O governo chinês também determinou que sejam implementados monitoramento e investigação de epidemias animais, imunização obrigatória, desinfecção de locais em que foram encontrados animais mortos, assim como nos veículos de transporte desses animais. O objetivo principal, segundo o aviso federal, é a “desinfecção abrangente de criações de gado e aves em aldeias afetadas”.

O Ministério da Agricultura da China diz, ainda, que é preciso “garantir o fluxo regular de materiais de produção, como gado jovem e aves, gado de reprodução, ração, medicamentos veterinários, ovos e produtos lácteos no escopo das necessidades diárias durante o período de prevenção e controle da epidemia”.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

As apostas são altas para o futuro da produção de carne no Brasil. Veja o que dizem as lideranças ouvidas para o Especial Perspectivas 2021 do Anuário DBO. Assista:

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.