Habilitação de frigoríficos pelo Egito é para garantir carne em meio à pandemia, afirma secretário

Marfrig, JBS e BRF estão na lista dos 42 frigoríficos habilitados pelo país árabe. Confira a lista completa das unidades habilitadas

O secretário-adjunto de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Flávio Betarello, confirmou nesta quinta-feira, 9, ao Broadcast Agro que o Egito habilitou 42 frigoríficos brasileiros para exportação de carne bovina e de frango.

Saiba mais
Egito habilita 42 plantas do Brasil a exportarem carne

“Neste momento de pandemia, temos observado que vários países estão buscando formas de assegurar o suprimento interno e, neste momento crítico, recorrem ao Brasil por sua ampla capacidade de oferta”, disse ele.

Foram autorizados 27 novos frigoríficos de carne de frango e 15 de carne bovina. O país também renovou a licença de outros 13 estabelecimentos exportadores de carne de frango e 82 de carne bovina com dispensa de realização de missão in loco. O credenciamento de novas plantas estava em negociação desde o ano passado, segundo Betarello.

Ele contou que, como contraparte, o Brasil liberou a importação de uva e alho do país árabe. “Estamos estudando também a abertura para citros do Egito”, disse. De acordo com ele, abrir o mercado brasileiro é uma forma de diminuir o custo logístico da operação para o país árabe como opção de carga de retorno.

Confira a lista dos frigoríficos habilitados pelo Egito

Carne Bovina:

1 da Marfrig, em Várzea Grande (MT)
2 da JBS, um em Rio Branco (AC) e outro em Porto Velho (RO)
1 da FBZ Comércio de Carnes, de Cidade Ocidental (GO)
2 do Golden Imex, sendo um em Santa Fé do Sul (SP) e outro em Juruena (MT)
1 do Frigorífico Pantanal, em Várzea Grande (MT)
1 do Frigorífico Argus, em Cruzeiro do Oeste (PR)
1 do Frigoestrela, em Rondonópolis (MT)
1 do Kadão Alimentos, em Caçu (GO)
1 da Better Beef, em Rancharia (SP)
1 do Frisa – Frigorífico Rio, em Doce Nanuque (MG)
1 do Boibrás, em São Gabriel do Oeste (MS)
1 do Ativo Alimentos, em Castanhal (PA)
1 do Frigorífico Nordeste Alimentos, em Teixeira de Freitas (BA)

Aves:

2 da JBS Aves, uma em Garibaldi (RS) e outra em Caarapó (MS)
2 da Seara Alimentos, sendo uma unidade em Passos (MG) e outra em Itaiópolis (SC)
2 da BRF, sendo uma planta em Lajeado (RS) e uma em Jataí (GO)
2 da Vibra Agroindustrial, sendo uma em Sete Lagoas (MG) e outra em Pato Branco (PR)
2 da Santa Izabel Alimentos, sendo uma em Aguiarnópolis (TO) e a outra em Santa Izabel do Pará (PA)
1 da Aurora, em Guatambu (SC)
2 da Lar Cooperativa Agroindustrial, situadas em Matelândia (PR) e em Cascavel (PR)
1 da Somave Agroindustrial, em Cidade Gaúcha (PR)
1 da Mais Frango, em Miraguaí (RS)
1 da Frangos Pioneiro, em Joaquim Távora (PR)
1 da Agrodanieli Indústria e Comércio, em Tapejara (RS)
1 da GTB Empreendimentos, em Ipuaçu (SC)
1 da Carrer Alimentos, em Farroupilha (RS)
1 da Dip Frangos, em Capanema (PR)
1 da União Avicola Agroindustrial, em Nova Marilândia (MT)
1 da Jaguafrangos, em Jaguapitã ( PR)
1 da C. Vale, em Palotina (PR)
1 da Bello Alimentos, em Itaquiraí (MS)
1 da Vila Germânia, em Indaial (SC)
1 da Granjeiro Alimentos, em Rolândia (PR)

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.