[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

Hora de “virar a página” da produção baseada só na produtividade

Para o zootecnista Danilo Grandini, a tipificação de carcaças é o próximo passo para a evolução da pecuária brasileira; confira o artigo na Revista DBO

Foto: Eduardo Rocha

Por Danilo Grandini – Zootecnista, com pós-graduacão em análise econômica e diretor Global de Marketing Bovinos da Phibro.

Este ano tem sido especialmente interessante para discussões a respeito dos modelos estruturais de produção. Junto a colegas que respeito e admiro, tive bons momentos para divagar sobre esse tema e sobre os próximos passos da pecuária brasileira. As visões são as mais variadas possíveis.

A mais comum delas é de que, finalmente, encontramos nossa posição no mercado e nosso modelo produtivo seria o da commodity competitiva, capaz de atender às demandas vindas tanto do mercado interno quanto do externo, de forma responsiva, ágil e eficaz. Aparentemente, o fato de não termos um modelo de produção único seria um bom negócio, pois possibilitaria atender o maior número de oportunidades possíveis.

Não posso discordar do fato de que o Boi China é uma realidade desde meados de 2019 e que, sim, a pecuária brasileira tem todos os méritos por ter conquistado essa oportunidade de mercado. Entretanto, o que esteve por trás dessa conquista, além da óbvia demanda, foi a habilidade na comunicação/divulgação do padrão de carne requerida para exportação ao país asiático, em termos de pH, peso, acabamento e idade. Felizmente, trata-se de uma mercadoria passível de produção sem mudanças drásticas no modelo de pasto, proteinado e grãos.

Inversão positiva

O que pouca gente percebeu, porém, é que houve uma inversão na ordem até pouco tempo vigente. Ou seja, foi a especificação do produto que definiu o sistema de produção do animal. Dada a magnitude das exportações para o mercado chinês, talvez esta seja a maior lição que tivemos.

Muito bem, mas e agora? O que vem pela frente fora o boi China? Qual seria a página a ser virada na próxima década? Para mim, é a tipificação de carcaças e neste ponto talvez eu tenha observado maior oposição junto aos colegas.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

This post is only available to members.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no tumblr
Tumblr
Compartilhar no print
Print
2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.