Iagro suspende obrigatoriedade do uso do aplicativo de transporte de animais em Mato Grosso do Sul

De acordo com o diretor da Iagro, Daniel Ingold, após demandas do setor produtivo por meio da Famasul, a obrigatoriedade foi suspensa para que se façam ajustes técnicos

A Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), órgão vinculado à Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (15) medida que suspende a obrigatoriedade do Aplicativo Transportador de Animais.

O aplicativo foi criado por meio da Portaria n° 3680 da Iagro e estabelecia que a partir de 1º de julho de 2022, os transportadores de animais e profissionais da área, deveriam se cadastrar no Aplicativo Transportador, desenvolvido pela Agência.

De acordo com o diretor da Iagro, Daniel Ingold, após demandas do setor produtivo por meio da Famasul (Federação de Agricultura de Mato Grosso do Sul) a obrigatoriedade foi suspensa para que se façam ajustes técnicos no aplicativo.

“Em função das demandas que tivemos de vários produtores e da Famasul no uso do aplicativo do transportador, nós tivemos agora uma reunião com o secretário Jaime e com o presidente da Famasul, Marcelo Bertoni, e decidimos pela suspensão da obrigatoriedade de uso do aplicativo”, salientou Ingold.

Ele lembrou que a Iagro vai manter o aplicativo, mas sem data da obrigatoriedade.

“Vamos continuar melhorando o aplicativo e fazendo ajustes técnicos, garantindo a ampliação do conhecimento e uma adaptação do produtor a tecnologia”, acrescentou.

O aplicativo é uma das ferramentas previstas no Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa (2017-2026) que apresenta cronograma e operações a serem executadas para que o Estado tenha condições de realizar a transição para Estado livre de febre aftosa sem vacinação até 2023.

O cadastramento de transportadores se encontra no eixo “Fortalecimento do Sistema de Vigilância em Saúde Animal” (verde escuro) na operação “Fortalecer os mecanismos de controle nacional de movimentação de animais suscetíveis à febre aftosa, seus produtos e subprodutos”.

Fonte: Ascom Semagro / Governo de MS

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.