IBGE: Safra de 2022 será de 261,5 milhões de toneladas e 3,3% maior do que a de 2021

Se confirmada, será uma safra recorde; o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola também segue apontando para uma safra de milho recorde em 2022

A safra agrícola de 2022 deverá totalizar 261,5 milhões de toneladas, alta de 3,3% em relação ao resultado de 2021, o equivalente a 8,3 milhões de toneladas a mais, conforme o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de abril, divulgado nesta quinta-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Se confirmada, será uma safra recorde. Em relação ao LSPA de março, a projeção para a produção agrícola de grãos em 2022 foi ajustada para cima, com alta de 1,0%, interrompendo uma sequência de revisões para baixo.

Além disso, os produtores brasileiros deverão colher 71,9 milhões de hectares na safra agrícola de 2022, uma elevação de 4,9% em relação à área colhida em 2021, o equivalente a 3,4 milhões de hectares a mais.

VEJA TAMBÉM | IBGE: abate de frangos recua no 1° trimestre de 2022, mas o de bovinos e suínos cresce

Soja

Incorporados os efeitos da quebra na safra no Sul do País, por causa da seca na virada do ano, a leitura de abril do LSPA aumentou em 2,0% a estimativa para a safra de soja no País, na comparação com a projeção de março. Com a colheita praticamente encerrada, a produção de soja deverá ficar em 118,5 milhões de toneladas, um tombo de 12,2% ante 2021.

Em nota, o IBGE destacou que a safra de 2021/2022 de soja foi “marcada por efeitos climáticos adversos, com registro de forte estiagem durante o desenvolvimento da cultura nos Estados do Centro-Sul do País”.

Milho

O LSPA também segue apontando para uma safra de milho recorde em 2022. A projeção de abril aponta para uma safra total de 111,9 milhões de toneladas, salto de 27,5% ante 2021, quando houve uma grande queda na produção.

“Após uma forte queda na produção, em 2021, efeitos do atraso do plantio e da falta de chuvas nas principais Unidades da Federação produtoras, aguarda-se um ano dentro da normalidade, notadamente durante a época de 2ª safra, que é a principal e deve responder por 77,4% da produção brasileira. A produção nacional de milho deve alcançar novo recorde nacional”, diz a nota do IBGE.

O LSPA de abril aponta para uma produção de 25,3 milhões de toneladas na primeira safra de milho, uma revisão para cima de 2,5% ante a estimativa de março. Na comparação com 2021, a projeção aponta para uma queda de 1,4%.

“Embora as chuvas tenham chegado de forma antecipada na maior parte do País, iniciando o ano agrícola no tempo certo, a partir da segunda metade do ciclo da cultura faltaram chuvas na Região Sul, o que derrubou o potencial dessa safra”, diz a nota do IBGE.

Já para o milho 2ª safra, cuja produção foi a principal atingida pelo atraso no plantio e pela estiagem do inverno passado, a estimativa da produção é de 86,6 milhões de toneladas, ligeiro ajuste para baixo (0,7%) em relação à estimativa de março. Na comparação com 2021, a projeção aponta salto de 39,4%.

VEJA TAMBÉM | Inmet alerta para impacto da estiagem na segunda safra de milho

Café

A leitura de abril do LSPA baixou ainda em 2,1% a estimativa para a produção total de café no País, na comparação com a projeção de março. Agora, o IBGE estima que a produção deverá ficar em 3,3 milhões de toneladas em 2022, ou 54,9 milhões de sacas de 60 kg, alta de 12,0% em relação a 2021.

O LSPA de abril projeta produção de 2,2 milhões de toneladas de café arábica, ou 37,4 milhões de sacas de 60 kg. É um declínio de 3,5% em relação à estimativa do LSPA de março, mas um crescimento de 16,7% em relação a 2021.

Apesar da alta, o potencial de crescimento era maior, já que a safra de 2022 é de “bienalidade positiva” – os pés de café dão mais frutos num ano e menos no seguinte. “Em 2022, a safra do café arábica será de bienalidade positiva, com aumento expressivo da produção, embora o clima seco e excessivamente frio do inverno de 2021 possa ter reduzido o potencial esperado”, diz a nota do IBGE.

Para o café canephora, mais conhecido como conillon, a estimativa da produção no LSPA de abril ficou em 1,1 milhão de toneladas, ou 17,5 milhões de sacas de 60 kg, aumentos de 1,0% em relação ao LSPA de março e de 3,3% em relação a 2021.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO | Ele quer todo gado na sombra

VEJA os destaques da edição de maio e o Especial Instalações e Equipamentos; na capa, a Agropastoril Campanelli investe em cobertura metálica dos currais e comprova ganho de mais de meia arroba por animal engordado na sombra

Revista DBO | Ele quer todo gado na sombra

VEJA os destaques da edição de maio e o Especial Instalações e Equipamentos; na capa, a Agropastoril Campanelli investe em cobertura metálica dos currais e comprova ganho de mais de meia arroba por animal engordado na sombra

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.