Imea: custos da cria e do ciclo completo avançam 6% no segundo trimestre

Atividade de recria e engorda segue caminho oposto e reduz gastos em 2,4% no mesmo período, revela o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária

No segundo trimestre deste ano, a atividade de cria e o sistema de ciclo completo (cria, recria e engorda) nas fazendas do Mato Grosso registaram aumentos no custo operacional total (COT) de 6,22% e 6,30%, respectivamente, ante os resultados apurados no primeiro trimestre de 2022, alcançando R$ 177,81/@ e R$ 149,50/@, informa o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Segundo a entidade, esse cenário de avanço nos custos da cria e do ciclo completo foi impulsionado pelas valorizações nos preços da suplementação animal, sobretudo milho e farelo de soja.

No entanto, na atividade de recria e engorda, houve redução de 2,45% no COT durante o segundo trimestre do ano, para R$ 265,19/@, em comparação ao resultado do primeiro trimestre de 2022.

SAIBA MAIS | Revista DBO | Como enfrentar a carestia?

Esse recuo, justifica o Imea, foi puxado especialmente pela queda no custo com aquisição de animais de reposição.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Nova revolução no cocho

VEJA os destaques da edição de agosto e o Especial Confinamento; na capa, com quase nada ou zero volumoso, a chamada ‘dieta fast’ ganha os cochos, melhora o desempenho dos animais e simplifica as operações.

Revista DBO | Nova revolução no cocho

VEJA os destaques da edição de agosto e o Especial Confinamento; na capa, com quase nada ou zero volumoso, a chamada ‘dieta fast’ ganha os cochos, melhora o desempenho dos animais e simplifica as operações.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.