Início de ano fraco exige atenção e planejamento do pecuarista

Melhora mais expressiva do mercado dependerá de aquecimento do consumo interno no segundo semestre

Apesar do intenso otimismo do mercado com o crescimento em 2019, o ano começou lento para o mercado do boi gordo. De acordo com levantamento da Scot Consultoria junto a 32 praças, o preço médio da arroba teve queda de 0,8% em janeiro, pressionado pelo fraco consumo das famílias. Em São Paulo, por outro lado, o mesmo indicador apontou alta de 0,7% no mesmo período. Segundo analistas, este início de ano é de oportunidades, mas exigirá cautela e planejamento por parte dos produtores.

“A recomendação para o produtor é sempre a mesma. Ele precisa estar atento ao seu projeto, seu desempenho e ao fluxo de caixa”, comenta Maurício Nogueira, diretor da Athenagro. Segundo o analista, a perspectiva para 2019 é de preços melhores, mas não é possível descartar problemas que possam ocorrer em alguns mercados e seus impacto sobre o valor da arroba do boi gordo. “Ainda é muito cedo para separar ameaças reais de especulações, o que reforça a importância do produtor ficar atento ao mercado”, alerta Nogueira.

+Virada do mês aumenta procura por boiadas
+Mercado do boi gordo inicia a semana sem viés definido
+Arroba sobe 2,9% no MT, mas relação de troca com milho cai

Na opinião de Paulo Molinari, da Safras & Mercado, o ano de 2019 ainda é de transição, com o emprego iniciando um processo de recuperação e com resultados no segundo semestre muito melhores que os registrados nos últimos 4 anos. “Acreditamos que a demanda de 2019 será realmente melhor, talvez ainda não capaz de alavancar agressivamente os preços, porém, suficiente para absorver ofertas existentes”, comenta o analista ao ressaltar que o mercado mais fraco se deve a fatores sazonais.

“A comercialização neste período é realmente mais lenta. E as exportações não começaram o ano com força. Então, não temos nada fora do normal no mercado de boi”. A atenção, segundo Molinari, é mesmo com a demanda interna a partir do segundo semestre e com o câmbio, o que poderia derrubar as exportações e aumentar o oferta por aqui. “As exportações com este câmbio podem não ter o mesmo desempenho de 2018. Um suporte para preços do boi gordo está baseado no segundo semestre nas condições de demanda interna”.

Do lado dos insumos, as perspectivas também são de preços melhores, mas “tudo dependerá do clima”, explica Pamela Andrade, da Scot Consultoria. “Temos visto menores pluviosidades principalmente em Estados como Paraná e Mato Grosso, que são focados na produção de grãos. Isso pode sim ter impacto lá pra frente”, alerta a analista. Os efeitos, contudo, deverão ser diferentes para a soja e para o milho. Enquanto as quebras são mais significativas para a oleaginosa, as previsões de safra para o milho são de uma produção recorde, de cerca de 94 milhões de toneladas.

“O clima, é claro, colocará um ingrediente ainda de atenção na produção. Contudo, sem uma variável climática ruim na safrinha brasileira, uma safra norte-americana normal e um câmbio em valorização, parece difícil preços em alta para o milho no segundo semestre sem uma forte exportação”, avalia Molinari, da Safras & Mercado. Segundo ele, até que o volume de produção do milho safrinha esteja melhor definido, em junho, os preços do grão devem se manter firmes no país.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no tumblr
Tumblr
Compartilhar no print
Print

Notícias relacionadas:

[banner-link-364-x-134-home-geral1]

[banner-link-364-x-134-home-geral2]

[banner-link-364-x-134-home-geral3]

TV DBO

A DBO Editores Associados, fundada em junho de 1982, sempre se caracterizou como empresa jornalística totalmente focada na agropecuária. Seu primeiro e principal título é a Revista DBO, publicação líder no segmento da pecuária de corte. O Portal DBO é uma plataforma digital com as principais notícias e conteúdo técnico dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Todos direitos reservados @ 2019 | Rua Dona Germaine Burchard, 229 | Bairro de Perdizes, São Paulo-SP

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
×
×

Carrinho

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: