Interesses comerciais motivam ações contra a exportação de gado vivo, diz presidente da Abeg

Lincoln Bueno, da Abeg, e Carlos Fernandes Xavier, da Faepa, participaram do DBO Entrevista, que teve como tema "Senado volta ameaçar a exportação de gado vivo no País"

No início deste mês de setembro, uma sugestão legislativa aprovada pela Comissão de Direitos Humanos do Senado sobre a proibição da venda de animais vivos para o abate, e que será analisada como projeto de lei, provocou um certo embaraço para a pecuária brasileira.

Entidades representativas do setor reagiram e demonstraram indignação e repúdio com o anúncio, entre elas, a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), a Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares (ANC), a Associação Brasileira de Angus (ABA) e a Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (FEBRAC).

Para o presidente da Associação Brasileira dos Exportadores de Gado (Abeg), Lincoln Bueno, esse movimento só tem uma explicação: criar um desconforto nacional e internacional sobre uma modalidade de venda que é liderada mundialmente pela França e Austrália.

VEJA TAMBÉM | Angus manifesta contrariedade à limitação de exportações de gado em pé

Este ano, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) conquistou a abertura de exportação de gado vivo para o Vietnã, um dos principais destinos de bovinos vivos vindo da Austrália. Segundo Bueno, após a abertura desse mercado, um vídeo de uma organização não governamental foi lançado na internet para difamar este importante segmento da pecuária.

“Não tem ninguém preocupado com o boi, porque, primeiro, o animal é muito bem tratado. O problema todo é uma questão comercial”, afirma Bueno.

O representante da Abeg foi um dos convidados do programa DBO Entrevista, que foi ao ar na segunda-feira, 20/9. Além dele, Carlos Fernandes Xavier, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), discutiu a importância para o Brasil dos negócios envolvendo gado vivo (confira a entrevista na íntegra no final do texto).

Sétimo lugar

No ano passado, o Brasil exportou 110,4 mil toneladas de bovinos vivos o que significou uma receita de US$ 217,2 milhões, segundo dados do Mapa. No entanto, na última década, nada se comparou a 2013, quando a pecuária brasileira movimentou US$ 717,2 milhões pelo comércio de 323,9 milhões de toneladas de bovinos vivos.

SAIBA MAIS | Senado vai analisar proibição de exportação de animais vivos para abate

Para Bueno, a competitividade do boi brasileiro é o que começa a incomodar esse mercado, internacionalmente. Segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO, na sigla em inglês), o País é o sétimo na exportação de gado vivo.

Para o presidente da Faepa, o mercado de exportação de bovinos vivos é tão legítimo como qualquer outro do setor do agro, além de obedecer a todas as normas de segurança e de respeito aos animais. Além disso, serve como base para complementar a renda do pecuarista.

Atualmente o Pará é o maior exportador de bovinos vivos, seguido pelo Rio Grande do Sul e São Paulo. Na última década a produção de boi paraense respondeu por 83% das exportações nacionais de gado vivo; o Rio Grande do Sul, por 8,8%; e São Paulo, 5%. No ano passado, a produção paraense representou 56% do volume exportado; o Rio Grande do Sul, por 28%; e São Paulo, 10,9%, segundo dados do Mapa.

“Para nós, pecuaristas, é importante que tenhamos um segundo mercado. Temos hoje uma consciência de que a área industrial é uma grande aliada dentro do agronegócio, mas se tivermos um segundo mercado, é melhor ainda”, diz Xavier.

Atualmente, o entrave para esse mercado é justamente a valorização do boi, segundo Bueno. Mesmo assim, o País segue com uma agenda positiva para a abertura de novos destinos para o boi vivo, com a chegada de mais animais de reposição no ano que vem.

“Acreditamos que o rebanho seja recomposto a partir de 2022 e já tenhamos um bom excedente aí para ver a exportação de boi vivo a se firmar novamente”, acredita o presidente da Associação Brasileira dos Exportadores de Gado.

Os Estados do Pará, Rio Grande do Sul e São Paulo tem se estruturado cada vez mais para atender a esse mercado. Além disso, as embarcações possuem espaço adequado para a acomodação dos animais, com oferta de alimentação qualidade, água fresca e boa ventilação.

“Nós estamos chegando com uma carga de bovinos vivos ao Vietnã. Já são 30 dias de viagem e com mais dois dias o navio chega ao seu destino. Mesmo com o gado tendo passado pelo frio do sul da África, os animais engordaram e estão em excelente estado. Eu acredito que vai fazer bonito para esse cliente que compra pela primeira vez do Brasil”, diz Bueno.

Confira a entrevista na íntegra

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Live: Controle de moscas

É HOJE! Nesta terça-feira, 7, a partir das 18:30h, o projeto Manejo Eficiente, parceria da DBO com a Elanco, debate o tema controle de moscas. O repórter Renato Villela conversa com o veterinário Octaviano Pereira, gerente técnico de bovinos de corte da Elanco; não perca!

Live: Controle de moscas

É HOJE! Nesta terça-feira, 7, a partir das 18:30h, o projeto Manejo Eficiente, parceria da DBO com a Elanco, debate o tema controle de moscas. O repórter Renato Villela conversa com o veterinário Octaviano Pereira, gerente técnico de bovinos de corte da Elanco; não perca!

Publieditorial

Cromo: Mineral essencial para bovinos de corte

O cromo é um dos principais minerais utilizados na nutrição de bovinos de corte em todas as fases da vida produtiva, e é reconhecidamente essencial para o organismo dos animais e humanos há mais de 40 anos.

Cromo: Mineral essencial para bovinos de corte

O cromo é um dos principais minerais utilizados na nutrição de bovinos de corte em todas as fases da vida produtiva, e é reconhecidamente essencial para o organismo dos animais e humanos há mais de 40 anos.

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.