Levantamento do Imea aponta redução de 5,3% na intenção de confinamento em Mato Grosso

Estimativa em outubro indicou 837.770 cabeças no cocho este ano; redução em relação à pesquisa de julho deve-se ao embargo das exportações de carne à China

Em 2021, os pecuaristas do Mato Grosso devem confinar 837.770 cabeças, segundo o terceiro levantamento das intenções de confinamento realizado em outubro/21 pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

O volume estimado representa queda de 5,32% ante o levantamento realizado em julho/21 (884.867 bovinos), mas avanço de 1,84% sobre a quantidade de animais confinados em 2020 (822.633 cabeças).

É a primeira vez que os dados recolhidos na pesquisa de outubro ficam abaixo da quantidade prevista no levantamento de julho, informa o Imea.

Essa queda, segundo o instituto, deve-se ao embargo às exportações de carne bovina à China, após a confirmação de dois casos atípicos de vaca louca no Brasil – um deles no Mato Grosso (e outro em Minas Gerais).

SAIBA MAIS | Carne bovina: receita com exportação de Mato Grosso recua 56% em outubro ante set/21

Tradicionalmente, boa parte do gado mato-grossense que é terminado no cocho tem como destino o mercado da China.

Segundo os analistas do Imea, diferentemente do cenário satisfatório que o mercado vivenciava em meados de 2021, o último trimestre deste ano foi marcado por tensões quanto à precificação da arroba, que, em outubro, recuou 10,47% sobre setembro.

Tal fato, diz o instituto, “desanimou parte dos pecuaristas e levou muitos deles ao prejuízo por cabeça de bovinos negociado”. Diante disso, continua o Imea, “parte dos confinadores buscaram alternativas para se esquivar da situação e tentar gerar um menor prejuízo possível”.

Dentre as alternativas, “alguns pecuaristas decidiram remanejar os animais para o pasto, principalmente do rebanho que seria designado para o terceiro giro de confinamento”.

“Nesse sentido, a entrega dos animais que iria ocorrer com mais força em outubro, agora passou a ser estimado para dezembro/21, pois a engorda no pasto leva um pouco mais de tempo para terminar o animal”, relata o Imea.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.