Vontade do pecuarista em vender põe fogo no mercado do boi

Diante da escassez de boiadas, indústria fica mais agressiva na compra de matéria-prima, enquanto produtor decide desovar os poucos estoques de animais prontos

Dando continuidade ao movimento registrado desde o início da semana, o mercado do boi gordo registrou boa liquidez nesta quinta-feira, 6 de agosto, com novas valorizações em algumas importantes praças pecuárias.

Segundo apurou a IHS Markit, os pecuaristas se posicionaram de forma mais ativa nas vendas, “enxergando margens mais remuneradoras com os custos do gado de reposição”.

Continue a leitura após o anúncio

Com a maior oferta de animais, os frigoríficos conseguiram estender as suas escalas de abate por pelo menos uma semana, reajustando o nível dos abates diários, acrescenta a consultoria.

Esse avanço da oferta de animais não é generalizado, já que, em todo o País, a quantidade de boiada terminada, tanto a pasto como nos confinamentos, ainda é limitada, resultado do período de entressafra de “bois de capim” e da falta de incentivos para os produtores confinarem no primeiro giro, em função das incertezas do cenário de crise global gerada pela pandemia da Covid-19.

Nas praças pecuárias com maior representatividade das exportações de carne bovina, as indústrias têm dificuldade de encontrar matéria prima suficiente para atender o aquecido ritmo de embarques, informa a IHS Markit. É o caso das praças em São Paulo e no Mato Grosso do Sul, onde os preços do boi gordo encontram-se em estabilizados em altos patamares (veja no final deste texto mais informações sobre os preços da arroba nas regiões pecuárias)

Em meio ao aumento da pressão altista provocada pela demanda aquecida e oferta escassa, o preço da boiada gorda subiu nesta quinta-feira nos Estados de Mato Grosso, Minas Gerais e Goiás, relata a IHS.

Ao norte do Brasil, as cotações também registraram novas valorizações nas regiões pecuárias da Bahia e do Pará, onde, com dificuldade de compra de matéria prima, novas aquisições só são efetuadas mediante elevação dos preços pagos, diz a consultoria.

No Rio Grande do Sul, as cotações do boi gordo recuaram nesta quinta-feira. Indústrias pesquisadas pela IHS Markit alegam inconsistência no mercado, já que, diante da baixa oferta de gado, os preços oferecidos não são suficientes para efetivar novas aquisições. No entanto, os ajustes negativos no RS, relata a consultoria, têm base na entrada de carregamentos de carne importada, que reduziu a necessidade de aquisições de gado para abate por parte dos frigoríficos locais.

Melhora da demanda interna

Diante de entrada de massa salarial de parte da população consumidora, as previsões de recuperação no consumo de carne bovina no mercado interno se confirmaram. O escoamento dos cortes bovinos das prateleiras dos supermercados se mostra mais ativo, impulsionado pela chegada do final de semana e pelas comemorações do Dia dos Pais, o que deve abrir margem para mais ajustes positivos no curtissímo prazo, destaca a IHS Markit.

Confira as cotações desta quinta-feira, dia 6 de agosto, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 229/@ (prazo)

vaca a R$ 215/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 217/@ (à vista)

vaca a R$ 205/@ (à vista)

MS-C. Grande:

boi a R$ 219/@ (prazo)

vaca a R$ 207/@  (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 219/@ (prazo)

vaca a R$ 207/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 200/@ (prazo)

vaca a R$ 188/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 202/@ (prazo)

vaca a R$ 191/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 204/@ (prazo)

vaca a R$ 195/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 203/@ (à vista)

vaca a R$ 190/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 195/@ (à vista)

vaca a R$ 185/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 219/@ (prazo)

vaca R$ 208/@  (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 218/@ (prazo)

vaca a R$ 209/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 217/@ (à vista)

vaca a R$ 202/@  (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 227/@ (prazo)

vaca a R$ 213/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 231/@ (prazo)

vaca a R$ 213/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 229/@ (à vista)

vaca a R$ 216/@ (à vista)

RS-P.Alegre:

boi a R$ 212/@ (à vista)

vaca a R$ 202/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 212/@ (à vista)

vaca a R$ 202/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 217/@ (prazo)

vaca a R$ 209/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 214/@ (prazo)

vaca a R$ 207/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 211/@ (prazo)

vaca a R$ 203/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 217/@ (prazo)

vaca a R$ 204/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 216/@ (à vista)

vaca a R$ 203/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 200/@ (à vista)

vaca a R$ 190/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 213/@ (prazo)

vaca a R$ 203/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 212/@ (à vista)

vaca a R$ 195/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO