Mapa estuda medidas para reduzir impactos do fim do antidumping

Ministra da Agricultura disse que reconhece a importância do setor e que tentará reestruturar a cadeia produtiva
O fim da taxa antidumping começou a ser discutido no ano passado, lembrou a ministra. Foto: Mapa

O Ministério da Agricultura (Mapa) divulgou nota nesta sexta-feira, 8 de fevereiro, afirmando que busca uma solução para o problema provocado pela suspensão da taxa de antidumping para a importação de leite em pó.

+Governo libera importação de leite da Europa e Nova Zelândia
+FPA manifesta preocupação com fim de taxa antidumping do leite
+Abraleite vê “extremo risco” para a cadeia produtiva nacional do leite
+Faesc condena fim da tarifa antidumping para o leite importado

A pasta informou que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, realizou “longa reunião ontem à noite com a equipe econômica do governo para buscar a solução do problema provocado pela suspensão da taxa de antidumping para a importação de leite em pó”. De acordo com o comunicado, o Mapa e o Ministério da Economia estão trabalhando juntos nessa questão.

Segundo o Mapa, 51% do leite líquido comercializado no campo é oriundo de pequenas propriedades rurais, com área de até 50 hectares. Ao todo, cerca de 1,2 milhão de estabelecimentos rurais são dedicados à produção de leite no país. A ministra Tereza Cristina lembrou, ainda, que o fim da taxa antidumping começou a ser discutido pela Camex (Câmara de Comércio Exterior) no governo passado e que o Ministério da Agricultura tentou reverter a decisão, o que não foi possível.

Hoje de manhã, uma nova reunião reunião foi realizada no Ministério da Agricultura, desta vez com representantes do setor. O encontro discutiu medidas para reestruturar o setor e garantir melhores condições de competição no mercado internacional aos produtores.

Momento errado

Em seu comunicado, o Ministério da Agricultura afirmou, por meio de seu  secretário de Comércio e Relações Internacionais, Orlando Leite Ribeiro, que “entende os motivos que levaram à decisão”, mas que “considera que este não era o melhor momento para adotar a medida, porque o setor de leite, que é protegido no mundo todo, já vinha enfrentando problemas desde o meio do ano passado, devido ao fim de um acordo entre privados com a Argentina relativo à importação de leite em pó”.

“O antidumping, que vigorava desde 2001, foi, sem dúvida, eficaz e decisivo, à época, para a rentabilidade do setor e permitiu a manutenção dos produtores rurais na atividade. Antes da implementação da medida, os preços pagos aos produtores de leite estavam em queda. Com a medida, houve melhora dos valores recebidos pelos bovinocultores de leite”, afirma o Mapa em nota.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on email
Email
Share on pocket
Pocket

Posts Relacionados:

Menu

GALERIA DE FOTOS DO INSTAGRAM

Acompanhe e compartilhe:

Fechar Menu
×
×

Carrinho