Margem dos frigoríficos é a menor desde setembro de 2016

Demanda doméstica por carne vermelha continua em estado de dormência

Pela lei de mercado, quanto menor é oferta, maior é o preço. Porém, embora haja escassez de bois prontos para o abate no País, os frigoríficos estão com dificuldade para elevar o valor de venda da carne bovina no atacado.

O motivo é um só: a demanda doméstica pelo bife e outros corte de carne vermelha ainda encontra-se em estado de dormência, o que prejudica o escoamento da produção por parte da indústria.

O resultado disso, mostra a Scot Consultoria, de Bebedouro, SP, é a redução nas margens de comercialização dos frigoríficos responsáveis pela desossa do boi. Em São Paulo, a margem atual de venda da carne bovina caiu para 15,8%, a menor desde setembro de 2016.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Nova revolução no cocho

VEJA os destaques da edição de agosto e o Especial Confinamento; na capa, com quase nada ou zero volumoso, a chamada ‘dieta fast’ ganha os cochos, melhora o desempenho dos animais e simplifica as operações.

Revista DBO | Nova revolução no cocho

VEJA os destaques da edição de agosto e o Especial Confinamento; na capa, com quase nada ou zero volumoso, a chamada ‘dieta fast’ ganha os cochos, melhora o desempenho dos animais e simplifica as operações.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.