Mato Grosso reduz rebanho leiteiro, diz IBGE

Segundo o Imea, produtividade estadual aumentou 14,3%, mas ainda é muito baixa, de 3,77 l/vaca/dia
Foto: Sérgio de Oliveira

O IBGE divulgou em setembro último os dados da Pesquisa Pecuária Municipal referente ao ano de 2018. Segundo o Instituto, o volume de vacas ordenhadas em Mato Grosso totalizou 496,7 mil cabeças, queda de 2,8% ante 2017. 

Em sua análise mensal do setor, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) , avaliou que entre os fatores que contribuíram para esta redução estão as margens apertadas, sobretudo no 1º semestre de 2018, que levaram ao descarte de matrizes para gerar receita extra. Além disso, segundo o Imea, tem ocorrido a saída de produtores da atividade em MT, assim como em outros estados. 

Continue a leitura após o anúncio

Apesar disso, diz o boletim, a produtividade estadual aumentou 14,3%, mas ainda é muito baixa, de 3,77 l/vaca/dia. E segue:

Ao analisar os dados por região, constata-se que a oeste teve a maior queda no rebanho (27%), perdendo seu posto de maior rebanho estadual para a região norte. 

Nessa mesma linha, nota-se que as regiões que estão no norte de MT foram as únicas que tiveram aumentos no rebanho, o que pode estar indicando uma nova formação de bacia leiteira, visto que lá uma parte dos pecuaristas desenvolve a pecuária de corte (cria) e de leite.

 

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO