MT bate recorde e usa 56% da capacidade de abate bovinos

Recorde refletiu aumento do volume de animais abatidos ano passado e da maior produção de carne

O Estado de Mato Grosso utilizou 56,8% da capacidade industrial instalada para o abate de bovinos em 2018. Este é o maior percentual já registrado desde 2008, quando o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) iniciou a divulgação dos dados. Atualmente, o Estado pode abater até 30.440 animais por dia nos frigoríficos com inspeção estadual e federal. Porém, são abatidos cerca de 17.000 animais por dia.

+Abates de bovinos recuam 2% no 4° trimestre de 2018

O recorde acompanhou o aumento do volume de animais abatidos ano passado e, consequentemente, da maior produção de carne. Em 2018, Mato Grosso registrou o abate de 5,289 milhões de bovinos, alta de 9% em comparação com os 4,9 milhões abatidos em 2017, em que a utilização da capacidade de abate foi de 49%.

Para o presidente do Instituto Mato-Grossense da Carne (IMAC), Guilherme Linares Nolasco, mesmo com o recorde registrado no último ano ainda há uma possibilidade de expansão. “É possível identificar um potencial para utilizar até 44% da capacidade instalada e inspecionada no Estado. Ou seja, há espaço para ampliar a produção de carne”.

Segundo Nolasco, contudo, o aumento da produção depende do crescimento da demanda, o que eleva a necessidade de expandir as exportações e o consumo interno. “Com a indústria vendendo mais, o produtor também tem seu rebanho valorizado. É uma ação em conjunto”, explica o presidente.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on email
Email
Share on tumblr
Tumblr
Share on print
Print

Veja também:

DNA de gestora

Quem observa a médica veterinária Carine Letícia Schneider Faifer (29 anos) em frente a uma das poucas escolinhas infantis de Chapadão do Céu (cidade goiana

Uma jovem pioneira

Aos 21 anos, Maria Vitória Faé Proença já é pecuarista famosa em Santa Catarina. Ela é dona da Fazenda Vitória, em Rio das Antas (207

Que modelo sucessório adotar?

Não são poucas as dúvidas das famílias rurais quando o assunto é sucessão. Além da delicadeza da questão, definir qual modelo adotar não é tarefa

Fechar Menu
×

Carrinho