Mercado do boi gordo abre a semana com arroba estável na maioria das praças brasileiras

Analistas, porém, apostam em novas valorizações nos preços dos animais terminados, estimuladas pelo pagamento dos salários neste início do mês e pelas comemorações do Dia dos Pais

Nesta segunda-feira, 2 de agosto, o mercado brasileiro do boi gordo registrou estabilidade nas maiorias das regiões pecuárias.

Em São Paulo, segundo apurou a Scot Consultoria, os preços do boi, a vaca e a novilha gordos seguem valendo R$ 317/@, R$ 292/@ e R$ 310/@, respectivamente (valores brutos e a prazo).

Bovinos destinados ao mercado externo (abatidos mais jovens, com idade de até 30 meses) são negociados por até R$ 320/@, preço bruto e à vista.

Como de hábito, na abertura da semana, os frigoríficos são mais cautelosos nos negócios – antes de definir as estratégias de compra de boiadas, preferem avaliar melhor o comportamento das vendas internas (e os estoques) de carne bovina durante o último fim de semana.

Analistas, porém, apostam em novas valorizações na arroba no curtíssimo prazo, estimuladas sobretudo pela possibilidade de aumento do consumo doméstico de carne bovina, devido à entrada dos salários neste início de agosto e também pela aproximação do Dia dos Pais, data que normalmente faz crescer a procura do brasileiro pela proteína vermelha – de longe, a preferida nas festas de comemoração em família.

Do lado de dentro das porteiras, os pecuaristas buscam barganhar valores maiores pela arroba bovina, aproveitando o eventual aumento de apetite das indústrias abatedouras.

Na avaliação da IHS Markit, os impactos das geadas que atingiram as lavouras de grãos no Brasil afetaram de maneira significativa os custos de produção dos pecuaristas que buscam alimentar os animais nos cochos. Tal conjuntura, diz a consultoria, tem travado os negócios entre produtores e frigoríficos.

Nos contratos futuros do boi negociados na B3, após comum movimento de correção, os vencimentos apresentam novas variações positivas.

Os contratos para outubro/21 e novembro/21 retornaram ao patamar de R$ 325,15/@ e R$331,30/@, respectivamente, informa a IHS.

Os contratos de vencimento mais curto também tiveram valorizações significativas, principalmente o papel para entrega em novembro/21, que avançou para R$ 323,90/@.

No mercado atacadista, os preços dos principais cortes bovinos, assim como do couro e sebo, industrial permaneceram estáveis.

Porém, as expectativas são de elevação no consumo interno nos próximos dias, em função sobretudo do recebimento da massa salarial.

“A procura por reposição de estoques deve apresentam maior dinâmica, gerando possibilidade de novas altas de preços da carne”, observa a IHS.

Cotações máximas desta segunda-feira, 2 de agosto, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 320/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)

MS-C.Grande:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 302/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 307/@ (prazo)
vaca a R$ 294/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 309/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 293/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 304/@ (à vista)
vaca a R$ 293/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 302/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 302/@ (prazo)
vaca R$ 292/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 295/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 305/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 284/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 325/@ (à vista)
vaca a R$ 315/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 325/@ (à vista)

vaca a R$ 315/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 295/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 293/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 297/@ (prazo)
vaca a R$ 285/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 297/@ (prazo)
vaca a R$ 287/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 288/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 285/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 299/@ (prazo)
vaca a R$ 287/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 287/@ (à vista)
vaca a R$ 265/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO | Monta curta acelera produtividade

CONFIRA os destaques da edição de setembro da Revista DBO e o ‘Especial Genética e Reprodução’; na capa, veja como duas fazendas de ciclo completo se tornaram modelo de ‘fábrica ideal de produção de bois’

Revista DBO | Monta curta acelera produtividade

CONFIRA os destaques da edição de setembro da Revista DBO e o ‘Especial Genética e Reprodução’; na capa, veja como duas fazendas de ciclo completo se tornaram modelo de ‘fábrica ideal de produção de bois’

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.