Mercado do boi segue calmo, com arroba estável na maioria das praças pecuárias

Ritmo de negócios com boiada gorda pode esquentar com aproximação do Dia das Mães, tradicionalmente um período de maior procura pela carne bovina

Como de praxe, o primeiro dia da semana teve um baixo volume de negócios no mercado brasileiro do boi gordo. “Boa parte das indústrias frigoríficas ficou fora das compras nesta segunda-feira, observando os primeiros movimentos do mercado”, relata a Scot Consultoria.

Com isso, os preços da arroba permaneceram no mesmo lugar em quase todas as praças pecuárias do País, na comparação com as cotações de sexta-feira, 30 de abril.

Nas praças paulistas, o boi, vaca e novilha gordos valem atualmente R$ 312/@, R$ 290/@ e R$ 303/@ (preços brutos e a prazo), respectivamente, informa a Scot.

Animais padrão-exportação (abatidos jovens, com até 30 meses de idade) recebem ágio de até R$ 8/@ sobre o valor do boi comum, acrescenta a Scot.

No entanto, apesar da morosidade típica de segunda-feira, espera-se uma semana mais aquecida no mercado de boiada gorda devido à comemoração do Dias das Mães, neste domingo, tradicionalmente um período de maior consumo de carne bovina.

O pagamento dos salários aos trabalhadores também pode ajudar a impulsionar a demanda pela proteína vermelha.

Da porteira para dentro, informa a IHS Markit, os pecuaristas continuam enfrentando condições cada vez mais adversas, sobretudo em relação aos avanços nos preços do milho – principal componente da ração animal –, além do encarecimento da reposição.

“Grande parte dos pecuaristas não tem condições de confinar animais para o segundo semestre”, observa a IHS, acrescentando que alguns produtores têm optado pela recria de animais mais erados, ou pela engorda em boiteis.

As grandes indústrias de carne País, continua a IHS, aproveitam a fragilidade econômica dos pecuaristas e se lançam com mais afinco ao mercado, comprando cada vez mais boiadas ainda não terminadas, lotando, assim, as suas estruturas próprias de confinamento.

As exportações brasileiras de carne bovina, porém, seguem bastante aquecidas, o que ajuda a manter os preços internos da arroba em patamares ainda bastantes elevados.

Os embarques seguem sobretudo para China, disparado o maior cliente da proteína brasileira, e que ainda enfrenta sérios problemas sanitários em seu rebanho de porcos.

“A região Norte da China segue sendo afetada pela peste suína africana (PSA), gerando grandes dificuldades para a recomposição do rebanho suíno”, relata a IHS.

No mercado atacadista brasileiro, os preços dos principais cortes bovinos abriram a semana estáveis, assim como o sebo e o couro, relata a IHS.

Giro pelas praças – Entre as principais praças pecuárias do Brasil, destaque para os recuos nos preços do boi gordo em algumas regiões do Mato Grosso. Em Cuiabá, o boi gordo teve baixa de R$ 2/@ nesta segunda-feira, e agora vale  R$ 303/@, segundo apurou a Scot Consultoria.

O valor da vaca gorda também caiu R$ 2/@ em Cuiabá, para R$ 292/@, enquanto a novilha gorda teve baixa de R$ 1/@, negociada na região por R$ 295/@ (preços brutos e a prazo).

No Sudoeste de Rondônia, as três categorias destinadas ao abate registaram retração diária de R$ 3/@ nesta segunda-feira. Com isso,  boi,  vaca e novilha gordos são negociados em R$ 292/@, R$ 282/@ e R$ 284/@, respectivamente (preços brutos e a prazo), de acordo com a Scot.

Nas demais regiões do País, prevaleceu a estabilidade nos preços dos animais para abate (confira abaixo as cotações nas principais praças brasileiras).

Cotações desta segunda-feira, 3 de maio, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 299/@ (à vista)
vaca a R$ [email protected] (à vista)

MS-C. Grande:

boi a R$ 300/@ (prazo)
vaca a R$ 286/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 300/@ (prazo)
vaca a R$ 286/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 302/@ (prazo)
vaca a R$ 292/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 302/@ (prazo)
vaca a R$ 293/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 302/@ (prazo)
vaca a R$ 289/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 303/@ (à vista)
vaca a R$ 291/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 289/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 297/@ (prazo)
vaca R$ 285/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 297/@ (prazo)
vaca a R$ 285/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 286/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 291/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 301/@ (prazo)
vaca a R$ 287/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 286/@ (à vista)
vaca a R$ 276/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 280,50/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 280,50/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 290/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ [email protected] (prazo)
vaca a R$ 283/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 296/@ (prazo)
vaca a R$ 284/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 296/@ (prazo)
vaca a R$ 287/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 286/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 289/@ (à vista)
vaca a R$ 279/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 293/@ (prazo)
vaca a R$ 276/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ [email protected] (à vista)
vaca a R$ 272/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.