Mercado futuro com boas oportunidades em 2019

Douglas Coelho espera preços atrativos na bolsa nos primeiros meses do próximo ano
Foto: Pixabay

A pecuária não é uma ciência exata. Pelo contrário, em minha opinião, ela é uma atividade mais biológica do que alguma expressão quantitativa. Penso nisso porque a interferência do clima, seja aqui ou em países relevantes para agropecuária, já trouxe mudanças significativas dos preços internos no passado.

Aproveito este espaço para chamar a atenção do leitor em relação às chuvas abundantes em todo país desde o início de outubro. Não precisa ir muito longe para lembrar que em 2016 e 2017 as chuvas demoraram para chegar. Em 2015, a situação foi mais crítica e a crise hídrica virou notícia em nível nacional.

Continue a leitura após o anúncio

Neste ano a situação é outra. De outubro a novembro, o volume de chuvas nas regiões com relevância aumentou, e muito. Na região de Cuiabá, MT, São Pedro ajudou com 26,4% mais água em relação ao mesmo período do ano anterior. Olhando para as áreas de Dourados,MS, o volume foi 80,1% maior. Já em Araçatuba,SP, choveu 52,7% mais frente a 2017. Isso sem falar em Uberaba, MG, onde as precipitações tiveram volume 3,1 vezes acima do ano passado.

O quadro não se limita apenas ao Centro-Sul, com um breve exemplo da região Norte, em São Félix do Xingu, PA, o volume de chuva também foi 21% maior na comparação anual.

Diante desta abundância é possível pensar em alguma antecipação da safra de boiadas em relação aos anos anteriores.

A outra bonança no rumo do pecuarista nos últimos dias foram os anúncios da possível ampliação dos frigoríficos pela China e da habilitação dos frigoríficos de frango (principal proteína concorrente da bovina) para o México. Estes são pilares sólidos para as exportações em 2019.

Depois de dias “em off” em função dos últimos feriados, o mercado físico deve voltar à normalidade, mas isso não significa necessariamente um aumento dos negócios, já que passamos por uma transição entre o final das boiadas de cocho e pequenos volumes de animais de pasto.

O mercado futuro do boi gordo também esteve travado com menos dias úteis. No entanto, estas mudanças climáticas e a formação de novos pilares para a demanda podem trazer oportunidades para os pecuaristas garantirem os preços dos primeiros meses de 2019 entre R$2-R$4/@ acima do indicador físico de hoje.

Fonte: Scot Consultoria

*As opiniões expressas nos artigos não necessariamente refletem a posição do Portal DBO

2742961

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no pocket
Pocket

Sobre o autor

Notícias

TV DBO

TIP na seca

Veja no vídeo recomendações de como usar a técnica na época de escassez de chuvas.

Vantagens da TIP

Veja no vídeo como montar a infraestrutura para emprego da técnica na fazenda e entenda o conceito de rendimento do ganho.