Novo método antecipa ocorrência de geadas no Mato Grosso do Sul

Sistema consegue prever queda forte das temperaturas e auxilia produtores a proteger suas plantações

Produtores da região sul do estado de Mato Grosso do Sul podem ficar tranquilos: as lavouras não correm risco de enfrentar as geadas no inverno deste ano. Quem garante é Danilton Flumignan, pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste (MS), que desenvolveu um método capaz de prever com bastante antecedência a ocorrência de geadas no seu estado.

De acordo com o método criado por Flumignan, já no mês de dezembro era possível saber a temperatura mínima aproximada para o mês de junho. Essa informação é atualizada no mês de maio, quando é confirmada ou não a ocorrência de geada. Daí a segurança do pesquisador ao antecipar a previsão da ausência das geadas este ano.

O pesquisador da Embrapa diz que, especialmente em junho, as geadas preocupam bastante os produtores de milho safrinha. É quando o milho ainda está numa fase sensível de desenvolvimento e a geada pode prejudicar as lavouras. Mais intensa a geada, maiores os prejuízos dos produtores.

Continue a leitura após o anúncio

Como é o método

O sistema desenvolvido por Flumignan usa dados de chuva medidos na estação agrometeorológica Guia Clima da Embrapa Agropecuária Oeste, que fica em Dourados (MS), e da temperatura da superfície do mar fornecidos pela agência americana National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA).

O índice de confiança é aquele mesmo tão utilizado pelos institutos de pesquisa de opinião pública: 95%. O sistema é capaz de prever em dezembro, e com uma margem de erro conhecida de ±2,3ºC, qual a temperatura mínima deverá ocorrer em junho, no sul do Mato Grosso do Sul.

Como as geadas representam um fator de risco à produtividade no campo, a Embrapa Agropecuária Oeste vem analisando alguns métodos de previsão.

Protegendo o milho safrinha

O milho de segunda safra é a principal cultura de inverno de Mato Grosso do Sul. Em 2018, foram cultivados no estado cerca de 1,7 milhão de hectares de milho safrinha. Aproximadamente 70% dessas lavouras estavam na região sul de Mato Grosso do Sul.

O Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) estabelece que, nessa região, o milho safrinha deve ser semeado até 10 de março a fim de minimizar os riscos de perdas nas lavouras.

O engenheiro agrônomo da Embrapa Gessi Ceccon, especialista em cultivo de milho safrinha, explica que existem três tipos de ciclos de híbridos de milho: superprecoce, precoce e normal. No caso de lavouras com híbridos de milho superprecoce, a geada em junho não causa prejuízos porque o milho já terá formado grãos, prontos para colheita. “Entretanto, para os de ciclo precoce e normal, a geada em junho acarreta menor enchimento dos grãos e, consequentemente, menor produtividade”.

De uma maneira geral, é muito difícil prever os potenciais danos que a geada pode causar ao milho, caso ela ocorra em junho. São muitas variáveis envolvidas, diz Ceccon, como relevo da propriedade, época de plantio e ciclo do híbrido. Ainda assim, é possível afirmar que ainda que a geada ocorra em junho e que venha a ser forte, não haverá uma perda completa da lavoura: o milho safrinha é semeado de forma escalonada nas propriedades rurais de Mato Grosso do Sul, ou seja, ocorre gradativamente conforme vai sendo realizada a colheita da soja.

Ceccon chama atenção para a amplitude do prejuízo em situações específicas. “No caso de ocorrer uma geada forte, em uma lavoura localizada em uma baixada, com um hibrido de ciclo normal, a perda certamente será grande.” Ele frisa que mesmo ocorrendo perdas severas na plantação, o cereal pode ser colhido e fornecido como alimento para os animais, pois é uma rica fonte de energia. Dessa forma, é possível minimizar os prejuízos.

Fonte: Portal DBO com informações da Embrapa

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no tumblr
Tumblr
Compartilhar no print
Print
2742961

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Notícias relacionadas:

TV DBO

A DBO Editores Associados, fundada em junho de 1982, sempre se caracterizou como empresa jornalística totalmente focada na agropecuária. Seu primeiro e principal título é a Revista DBO, publicação líder no segmento da pecuária de corte. O Portal DBO é uma plataforma digital com as principais notícias e conteúdo técnico dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Todos direitos reservados @ 2019 | Rua Dona Germaine Burchard, 229 | Bairro de Perdizes, São Paulo-SP

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
×
×

Carrinho

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Cadastre-se e receba nossas notícias

Todos os dias no seu e-mail melhor conteúdo do agronegócio.