[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

Nutrição turbina recria na Fazenda Campanário

Empresa usa “sequestro” e suplementação com sal aditivado nas águas para intensificar a recria, aumentando o giro do gado e poupando pastagens

Bezerrada em “sequestro” no confinamento da Campanário, que que está intensificando a recria.

Por Ariosto Mesquita

Seu nome se confunde com a história do ciclo da erva mate na América do Sul e com a Companhia Matte Laranjeira, empresa fruto de concessão imperial, que, nos séculos XIX e XX, ajudou a desenvolver a parte sul do então Estado de Grosso Grosso, hoje pertencente ao Mato Grosso do Sul. Além de ter história secular, a Fazenda Campanário, com seus 37.515 ha, em Laguna Carapã (MS), vem assumindo novo protagonismo, dessa vez na pecuária. Seu projeto de recria/engorda tem incorporado tecnologia para compensar a perda de área para a agricultura – de 4.500 para 2.570 ha (redução de 40%). O rebanho também diminuiu, passando de 12.000 para 6.800 UAs, mas é bastante gado para a área de pastagem disponível.

“Hoje, plantamos 19.970 ha de lavoura, mas trata-se de uma decisão comercial. A agricultura tem dado mais dinheiro, mas somos versáteis, podemos mudar de rumo a qualquer momento, se for economicamente interessante”, avisa Gentil José Martin Fernandes, gestor de pecuária da propriedade.

Continue a leitura após o anúncio

A redução da área de pecuária, contudo, trouxe consigo um grande desafio de produtividade, exigindo adoção de novas estratégias nutricionais na recria, para acelerar o desempenho dos garrotes e desafogar os pastos na seca. A meta da empresa é fazer com que os animais cheguem à terminação com uma arroba a mais por cabeça, o que significa 20 dias a menos no confinamento.

Para isso, decidiu-se “sequestrar” parte dos bezerros no final da seca de 2019, por um período curto (37 dias, no caso das fêmeas, e 45 dias, nos machos). Eles foram colocados no confinamento, recebendo ração para ganho de quase 1 kg/cab/dia, mas era preciso evitar queda de desempenho quando voltassem ao pasto. Essa segunda etapa de recria (pós-sequestro), que se estende até o final das águas, é feita a pasto, com mineral aditivado. Na última fase (pré-confinamento), são feitas as avaliações e ajustes dos lotes para três destinações: suplementação pré-confinamento, terminação intensiva a pasto (TIP) e confinamento.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no tumblr
Tumblr
Compartilhar no print
Print

Veja também: