“O mundo está cheio de dúvidas sobre nós”, diz Brito

Congresso da Abag começa nesta manhã de segunda-feira, com discurso duro do presidente da entidade para 8 mil participantes, recorde histórico de inscrições

Às 9 da manhã de hoje (3/9), em ponto, a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) deu início ao seu congresso anual, entidade criada em 1993 destinada às análises e reunião das cadeias produtivas. O presidente do conselho diretor entidade, Marcello Brito, fez um duro discurso na abertura do evento.

“O mundo está cheio de dúvidas sobre nós e os holofotes da crítica estão voltados para nós, detentores da mais importante floresta tropical do mundo”, disse ele. “Os desmatamentos e queimadas ilegais na Amazônia são criminalidades a serem efetivamente atacadas com a necessária convergência entre os poderes de Estado e os agentes de mercado”.

Continue a leitura após o anúncio
Marcello Brito, na abertura do congresso da Abag.

Em tempos de pandemia, como não poderia deixar de ser, o congresso ocorre em ambiente on line. Em 19 anos de realização do evento, essa é a primeira experiência do gênero. Com um dado nada desprezível. Em anos anteriores, o público presente ao evento ficou em entre 800 e mil pessoas. Para o dia de hoje estão inscritas 8 mil pessoas, recorde histórico para a entidade.

Na abertura, Brito também falou de um protecionismo bem mais articulado nos dias atuais, com foco em saúde, sanidade e sustentabilidade, e que novos paradigmas de negociação. Também destacou a necessidade de ir em frente na implementação do Código Florestal. A lei aprovada em 2012, que estabeleceu o Cadastro Ambiental Rural (CAR), uma ação autodeclaratória, prevê uma segunda fase de validação que já deveria ter sido implementada. O Programa de Regularização Ambiental (PRA) valida as mudanças introduzidas pelo código, referentes às Áreas de Preservação Permanentes (APPs), à Reserva Legal (RL) e à Regularização de Propriedades e Penalidades.

“No agro, vivemos da natureza e dos serviços ambientais”, disse Brito.

Também falaram Gustavo Junqueira, secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento de São Paulo,  mais Alceu Moreira, presidente da Frente Parlamentar do Agronegócio e Tarcísio Gomes de Freitas, ministro de Infraestrutura.

Ministra Tereza Cristina, da Agricultura e Pecuária. Foto: Sérgio Lima

O fechamento do primeiro bloco do congresso ficou por conta da ministra da Agricultura e Pecuária, Tereza Cristina. “Após a pandemia, teremos um mundo diferente”, disse ela. “Um mundo mais exigente em sanidade e sustentabilidade.” A ministra reforçou um discurso que vem fazendo com muita insistência em suas colocações, sobre a necessidade do País exercitar cada vez mais as suas ferramentas de sustentabilidade.

A DBO é mídia oficial de apoio ao congresso.

 

.

 

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO