Operações de barter

As operações de troca exigem contrato, com regras que podem penalizar o produtor em não cumprimento do acordado. Saiba o que pode acontecer.

Barter, que pode ser traduzido como “troca”, é o termo utilizado no agronegócio para as operações em que o produtor, por exemplo, para aquisição de insumos ou implementos, compromete parte de sua produção futura como forma de pagamento.

A Cédula de Produto Rural – CPR é o instrumento mais utilizado para formalizar operações de troca.

A CPR é um título regulado por lei própria em que o emitente se obrigar a entregar determinada quantidade de produto como forma de pagamento pelo adiantamento de determinada quantia em dinheiro ou, no caso do barter, do recebimento de insumos ou implementos agrícolas.

A vantagem da operação de troca está justamente na realização da “trava” de preço. Ou seja, o produtor, após calculado o custo de produção e apurado o preço de venda futura praticado no momento da emissão do título, realiza a operação de troca de forma a fixar o lucro que será auferido.

O emitente deverá, oportunamente, entregar determinada quantia de produto, não estando sujeito às variações de preço do mercado, de forma não perderá se o preço estiver menor, mas também não ganhará se o preço estiver maior.

Em épocas de grande oscilação como a de 2020, em que os preços dos produtos agrícolas subiram de forma surpreendente, talvez muitos possam pensar em não cumprir com o contrato. Seria viável?

Essas operações de troca geralmente são realizadas com tradings ou cooperativas que, por sua vez, realizam outra trava em operações internacionais.

Logo, ainda que o mecanismo inicial possa ser simplificado (com um contrato e/ou uma CPR), o desdobramento da operação pode ser muito complexo.

Por isso, os contratos de troca estipulam penalidades de grandes proporções para o caso de inadimplemento.

Então, em princípio, o não cumprimento desse tipo de operação implicará em multa (obviamente que há excessos a serem corrigidos, e que devem ser analisados em cada caso), que será, no mínimo, a diferença entre o preço do produto quando da operação inicial de troca e o preço do produto quando do vencimento da operação. Isso, além de outras penalidades que normalmente são incluídas neste tipo de operação, além de prejuízos que devem, obviamente, ser provados em ação judicial.

Além disso, as operações normalmente têm garantias como penhor (de produtos agrícolas ou maquinários), aval (garantia pessoal), hipoteca (imóveis) e até mesmo alienação fiduciária de imóvel (sendo esta a forma de garantia mais agressiva ao patrimônio do devedor), o que pode dificultar ainda mais a situação do devedor.

Obviamente que, em caso de perda de safra por fatores climáticos, por exemplo, há fundamento legal que auxiliará em eventual renegociação ou prorrogação do débito.

Assim, as operações de barter são atrativas e, se utilizadas corretamente, beneficiam o produtor. Contudo, tais contratos devem ser firmados com precaução, com margem segura de comprometimento da produção, uma vez que as penalidades são graves para o caso de descumprimento das condições ajustadas.

* Fábio Lamonica Pereira é advogado especialista em Direito Bancário e do Agronegócio

2742961

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no pocket
Pocket

Sobre o autor

Notícias

Bom ganho de peso das bezerras antes da desmama favorece prenhez precoce

Novas descobertas na precocidade sexual mostram que a DEP de Probabilidade de Parto Precoce deve encabeçar lista de prioridades na seleção de fêmeas e também a nutrição na fase pré-desmama

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.