[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

Perda do feto não é culpa somente da vaca

Estudos recentes mostram que os touros também podem contribuir de maneira significativa na quantidade de perdas embrionárias

Quase 30% das perdas ocorrem nos 7 primeiros dias de gestação.

Por Denis Cardoso

A perda gestacional é um dos principais gargalos em fazendas brasileiras de cria, resultando em menor eficiência reprodutiva de rebanhos de corte, que geralmente são submetidos à Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF). Normalmente, as mortes embrionárias – sejam elas precoces (antes de 28-30 dias de gestação) ou tardias (entre 30 e 100 dias) – são fortemente correlacionadas a fatores ligados a manejos sanitários (vacinação contra doenças reprodutivas) e nutricionais.

Porém, estudos recentes conduzidos nos Estados Unidos por uma pesquisadora brasileira – a médica veterinária Géssica Franco-Johannsen – mostram que os touros também podem contribuir de maneira significativa na quantidade de perdas embrionárias, embora os motivos para essa hipótese ainda careçam de investigações científicas mais profundas.

“Pelo andar de nossas pesquisas, acredito que, dentro de um prazo de dois anos, os pecuaristas poderão utilizar novos indicadores para a qualidade do sêmen em bovinos que possam indicar maior sobrevivência embrionária em vacas inseridas em protocolos de IATF”, prevê Géssica, hoje radicada no Texas (sul dos EUA) e integrante da equipe de pesquisadores liderada pelo professor KyPohler, da Texas A&M University, sediada na cidade de College Station.

Tecnicamente, a pesquisa conduzida pela brasileira tomou como base estudos científicos mais antigos realizados com outras espécies (como roedores) que comprovaram que a genética paterna exerce forte influência sobre a formação da placenta, enquanto a genética materna interfere mais no desenvolvimento do embrião/feto. A partir dessa premissa, os estudos práticos realizados pela equipe de Géssica, tanto em fazendas brasileiras quanto em propriedades norte-americanas, confirmaram a existência de uma variação considerável na incidência de mortalidade embrionária em vacas inseminadas pelos diferentes reprodutores inseridos no projeto – que envolveram animais das raças Angus e Nelore.

“Embora as nossas análises científicas ainda não estejam totalmente concluídas, a principal hipótese é que essa perda embrionária é ocasionada por uma espécie de ‘defeito genético’ na formação da placenta, o que reduz a concentração de glicoproteínas associadas à gestação (batizadas de PAGs)”, revela a pesquisadora.

Em outras palavras: diferentes touros podem ser capazes de influenciar a capacidade das fêmeas de desenvolver placentas menos ou mais evoluídas, o que interferirá diretamente na quantidade de glicoproteínas secretadas no período de gestação (analisadas por meio do sangue das matrizes ou amostras de leite). Ou seja: quanto maior o seu fluxo maior é a chance de vingar a parição dos bezerros.

“Nossos estudos mostraram que, para cada aumento de 1 ng/mL na concentração de glicoproteína circulante em vacas avaliadas no 30o dia de gestação, as chances de manutenção da prenhez até o centésimo dia cresceram 11%”, informa a pesquisadora.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

This post is only available to members.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no tumblr
Tumblr
Compartilhar no print
Print
2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.