PIB do agronegócio brasileiro cresce 4,65% de janeiro a maio

Segundo a CNA, o resultado foi puxado principalmente pela atividade primária (dentro da porteira), que teve expansão de 11,67% nos cinco primeiros meses de 2020
Foto: Reprodução/Internet

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro cresceu 4,65% nos primeiros cinco meses do ano ante igual período de 2019. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (6/8), pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) juntamente com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

De acordo com a CNA, o resultado foi puxado pela atividade primária (dentro da porteira), com expansão de 11,67% no período, em razão da alta de preços e da estimativa de aumento de produção.

“Nos outros segmentos da cadeia global do agronegócio, os serviços registraram alta de 4,51%, enquanto os insumos subiram 1%”, diz a nota da entidade.

No período, a  agroindústria foi o único a ter queda no acumulado, de 0,24%. No mês de maio, o PIB do agronegócio apresentou elevação de 0,78%  na comparação com o mesmo mês de 2019, com resultado positivo para os setores primário (3,08%), serviços (0,49%), insumos (0,17%) e recuo da agroindústria (-0,68%), reflexo dos impactos negativos da Covid-19, especialmente sobre a indústria agrícola.

Segundo a CNA, a alta de preços foi um dos fatores que impulsionaram o PIB tanto da agricultura quanto da pecuária. No ramo agrícola, o crescimento foi de 2,51% nos cinco primeiros meses deste ano frente a igual período de 2019. Destaque mais uma vez para o setor primário, com expansão de 15,17%.

As culturas que mais se destacaram foram a de milho, café, cacau, arroz, soja e trigo, todos com elevações superiores a 15% nos preços. Na parte de produção, as maiores estimativas de safra são para: algodão, arroz, cacau, café, feijão, laranja, milho, soja, trigo e madeira para celulose.

Para os segmentos de insumos e de agrosserviços do ramo agrícola, as altas no período de janeiro a maio foram de 0,85% e 0,69%, respectivamente, enquanto a agroindústria teve retração (-3,07%).

No mês, o PIB global da agricultura, que havia recuado em abril diante da pandemia, retomou o crescimento em maio, de 0,75%, impulsionado pela expansão do segmento primário (4,62%). Houve altas de 0,08% para os insumos e de 0,11% para os agrosserviços, e queda na agroindústria (-1,15%).

Em relação ao ramo pecuário, o PIB teve elevação de 9% nos cinco primeiros meses do ano, com crescimento em toda a cadeia produtiva. O resultado reflete os bons preços das proteínas animais até maio de 2020. Os serviços foram o segmento de maior expansão no período (11,53%), seguido por agroindústria (9,04%), primário (6,20%) e insumos (1,32%).

Segundo a CNA/Cepea, espera-se alta no faturamento para a criação de suínos e bovinos e para a produção de ovos. Em maio, a pecuária cresceu 0,9%. Assim como no acumulado do ano, todos os segmentos tiveram alta: 0,37% para os insumos, 0,54% para a atividade primária, 0,83% para a agroindústria e 1,22% para os agrosserviços.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.