[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

Plano de voo para o segundo giro de engorda

Simulações de Rogério Coan, da Coan Consultoria, indicam que, se conjuntura não melhorar, segundo giro de engorda renderá pouca alegria 

Rogério Marchiori Coan, da Coan Consultoria.

Por Rogério Marchiori Coan – Zootecnista e proprietário da Coan Consultoria, de Ribeirão Preto, SP.

Vamos iniciar o texto falando um pouco do passado, especificamente do ano de 2016. É quase unânime a opinião de que aquele ano foi repleto de tormentas, mesmo para os mais experientes “pilotos” da pecuária, sejam confinadores ou não. No início de 2016, já havia forte tendência de preços mais baixos para o boi gordo, tanto no mercado físico quanto na B3, apesar da margem ainda seguir relativamente atrativa para o confinador.

O preço dos insumos (principalmente do milho) e do boi magro traziam certa insegurança, porque, por melhor que fosse o “plano de voo” estabelecido, a chance de pouso forçado era grande. A volatilidade do mercado e a insegurança comandavam o espetáculo da pecuária, forçando técnicos, consultores e especialistas de mercado a exercitar ainda mais as contas para viabilizar o confinamento naquele ano.

Posto isto, qual seria a semelhança de 2016 com 2021? São muitas, ainda mais analisando o segundo giro de confinamento, onde o boi magro e insumos, principalmente o milho, continuam valorizados, principalmente devido às quebras de safra nos Estados produtores e especulações de mercado. Para complicar ainda mais a equação do lucro, o boi gordo na B3 e no físico seguem pressionados pela indústria frigorífica, incorrendo em quedas sucessivas nas cotações na última semana de agosto.

VEJA TAMBÉM | Recebimento dos animais em confinamento é a parte mais importante do processo de engorda, aponta pesquisador

Bom, tudo bem até aqui. Mas se a remuneração da arroba do boi gordo não for compatível, a operação não fecha as contas, correto? Exatamente e, é por isso, que temos de simular os custos e resultados, tendo como parâmetro os clientes da Coan Consultoria (ano-base 2021) localizados nos diferentes Estados já tradicionais na operação de confinamento, sendo: São Paulo (SP), Paraná (PR), Mato Grosso do Sul, Mato Grosso (MT), Rondônia (RO), Pará (PA), Tocantins (TO), Goiás (GO) e Minas Gerais (MG). Então vamos aos números!

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

This post is only available to members.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no tumblr
Tumblr
Compartilhar no print
Print
2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.