Menu
Menu

Quando o inverno chegar esteja preparado

O silo deve estar cheio de um alimento bem-acondicionado e de qualidade. Para isso, é preciso agir agora

Por: Nina Souza

P ara não esquentar a cabeça no inverno, é bom se preocupar com o processo de preparação da silagem, do corte ao preenchimento dos silos. A qualidade do alimento, seja milho ou sorgo, é fundamental para garantir a boa produção das vacas leiteiras e a qualidade do leite.

Para quem se programou direitinho, a lavoura deve estar agora em ponto de corte. O agrônomo Igor de Carvalho, especialista em produção de forragens, afirma que no caso do milho este ponto é quando a planta apresenta entre 30% e 35% de matéria seca. Já no caso do sorgo, para colhedoras sem processador de grãos, o ideal é entre 27% e 32% de matéria seca. “Os grãos no centro da panícula estarão começando a ficar farináceos. Por isso, a colheita é antecipada com o objetivo de reduzir as perdas de grãos nas fezes”. Para colhedoras com processador de grãos pequenos, o indicado é entre 30% e 35% de matéria seca. “Pode-se colher em estágio mais avançado para aumentar o teor de amido e a energia da silagem”.

Outro ponto importante é o tamanho médio das partículas, o que representa um papel-chave na digestibilidade e na velocidade de passagem do alimento pelo trato digestório. O agrônomo Carlos Eduardo Freitas Carvalho, da Cooperideal, explica que o tamanho da partícula é extremamente importante por dois motivos: primeiro, porque quanto maior ela for, mais difícil será a compactação, com a retirada de todo o oxigênio para que se tenha o processo de fermentação anaeróbica no alimento armazenado. O segundo motivo está ligado à questão da digestibilidade e produção de bicarbonato pelo próprio animal através da saliva.

O tamanho ideal, afirma o agrônomo, é entre 1 cm e 1,5 cm. “Quando a partícula é muito grande, a taxa de passagem dentro do rúmen do animal é mais lenta, o que dificulta o processo de digestão”, explica. “Menor que isso também não é indicado, pois a taxa de passagem fica muito rápida, o que vai fazer com que o aproveitamento e a digestibilidade da silagem seja perdida”, pondera.

Ele destaca ainda a importância do maquinário para maceração dos grãos. “O mais importante é que a máquina tenha condição de macerar e danificar os grãos. Senão, eles vão entrar no processo digestório do animal e não vão ser aproveitados. Ou seja, a digestibilidade do amido vai ser muito baixa”, informa. Por isso, orienta, é interessante que os produtores tenham máquinas que consigam processar o alimento corretamente. “Máquinas como as automotrizes, que colhem silagem de maneira mais rápida que as antigas forrageiras puxadas a trator. Elas conseguem fazer essa maceração com um implemento interno chamado craquer. fazendo com que a digestibilidade da silagem seja boa”, explica Carlos Eduardo Carvalho.

Vedação

Já com relação à vedação, é extremamente importante que seja feita o mais rápido possível. O indicado é que o produtor faça mais de um silo em sua propriedade, para que feche a produção e armazenamento da silagem em no máximo três dias. “A vedação deve ser realizada o quanto antes, a fim de cessar a respiração das células e iniciar a fermentação anaeróbica”, explica o consultor.

Ele orienta ainda a utilizar lonas de boa qualidade e, se possível, cobrir o silo com terra, pois o peso mantém a compactação, protege a lona do ressecamento, reduz o risco de furos por animais e reduz a infiltração de oxigênio através da lona. “Caso não seja possível a cobertura do silo com terra, o uso de filme barreira a oxigênio sob a lona convencional e de pesos sobre a lona são importantes para reduzir as perdas”, diz.

Apesar das dicas, os especialistas aconselham os produtores a procurar assistência técnica profissional, para conseguirem produzir uma silagem de qualidade e, assim, garantir o bom desempenho do rebanho. “A consulta a um técnico da área de forragicultura é indispensável para que não se cometam erros experimentando novas tecnologias ou modismos que sempre aparecem no meio rural. Lugar de fazer teste é no campo experimental, não na propriedade”, diz Igor.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on email
Email
Share on tumblr
Tumblr
Share on print
Print

Veja também:

[banner-link-364-x-134-home-geral1]

Sustentabilidade é isso aí…

Hélio Casale destaca os esforços do agricultor na busca pela sustentabilidade e os principais temas abordados no 3º Fórum de Agricultura Sustentável

[banner-link-364-x-134-home-geral2]

[banner-link-364-x-134-home-geral3]

SOBRE A MÍDIA DBO

A DBO Editores Associados, fundada em junho de 1982, sempre se caracterizou como empresa jornalística totalmente focada na agropecuária. Seu primeiro e principal título é a Revista DBO, publicação líder no segmento da pecuária de corte. O Portal DBO é uma plataforma digital com as principais notícias e conteúdo técnico dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da cobertura dos leilões de todo o Brasil.

ANUNCIE DBO

Acompanhe aqui o vídeo da edição mais recente da Revista DBO. Para ver os destaques das outras edições, basta clicar aqui.

ASSINE A REVISTA DBO

Revista DBO Ligue grátis: 0800 110618 (Segunda a sexta, das 08h00 às 18h00)

2018 DBO - Todos os direitos reservados

×
×

Carrinho