Queda externa pressiona preços do café no Brasil

Com ritmo lento de negócios, cotação do arábica recuou 2,2% em uma semana
Foto: Fabiano Bastos.

A forte queda internacional pressionou os valores do café arábica nos últimos dias. Assim, segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq USP), o ritmo de negócios continua lento.

Nessa terça-feira, 13 de novembro, o Indicador CEPEA/ESALQ do café arábica tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, fechou a R$ 435,63/saca de 60 kg, baixa de 2,2% em relação à terça anterior, 6.

Continue a leitura após o anúncio

Quanto às exportações brasileiras de café, seguem firmes, atingindo novo recorde nesta temporada (2018/19). Segundo dados do Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé), em outubro, os embarques totais (considerando-se grão verde, torrado e moído e solúvel) somaram 3,7 milhões de sacas, avanço de 20% em relação a setembro e de 29% frente a outubro do ano passado.

A quantidade embarcada em outubro foi a maior mensal, tomando-se como base toda a série histórica do Cecafé, iniciada em 1990.

Fonte: Cepea

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO