Ramadã começa com mais exportação de frango halal do Brasil

De acordo com a ABPA, o Brasil – atual maior exportador de carne de frango halal do planeta – exportou 1,915 milhão de toneladas ao mercado islâmico em 2021

O Ramadã, mês sagrado do calendário islâmico, neste ano ocorre do começo de abril até o início de maio.

Com a chegada do período, o setor da avicultura brasileira vê crescer significativamente a participação do mercado de produtos halal nas exportações de carne de frango do País. A informação foi divulgada pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Produtos halal são aqueles produzidos seguindo preceitos islâmicos e, portanto, permitidos para o consumo dos muçulmanos.

De acordo com a ABPA, o Brasil – atual maior exportador de carne de frango halal do planeta – exportou 1,915 milhão de toneladas de carne de frango para o mercado islâmico em 2021, quase a metade de toda a exportação brasileira do setor.

Já no primeiro bimestre de 2022, o volume de carne de frango halal já aumentou 5,17% em relação ao mesmo período do ano passado, alcançando 310,4 mil toneladas.

As vendas de produtos para as 58 nações importadoras de carne de frango halal do Brasil geraram em 2021 quase US$ 3 bilhões em receita. Para a ABPA, o número deve crescer neste ano.

VEJA TAMBÉM | Frango: com demanda externa elevada, cotações do setor sobem com força em março

Entre as nações que consomem frango halal do Brasil, os Emirados Árabes Unidos são, desde 2020, o principal destino. Em 2021, o país importou 389,4 mil toneladas do produto, o equivalente a 8,7% de toda a exportação do setor. Isso gerou uma receita de US$ 692,2 milhões.

Neste ano, os Emirados têm elevado ainda mais as importações de produtos brasileiros. No primeiro bimestre, a nação comprou 85,7 mil toneladas, volume 93,4% superior ao mesmo período do ano passado.

E em fevereiro o país do Golfo assumiu a liderança entre os destinos das exportações brasileiras de carne de frango, superando a China. As importações para os Emirados foram de 42,8 mil toneladas, volume 89,9% maior que no segundo mês de 2021.

Para o presidente da ABPA, Ricardo Santin, o relacionamento duradouro com as nações árabes e islâmicas deve seguir gerando bons frutos.

“Prova disso foi uma ação recente que realizamos em uma feira em Dubai, a Gulfood, onde foram projetados US$ 1 bilhão em exportações nos próximos meses, apenas a partir das tratativas estabelecidas no evento. A avicultura brasileira é dedicada ao cumprimento do halal e isto nos colocou em uma posição estratégica para apoiar a segurança alimentar das nações árabes”, afirmou, em nota, Santin.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.