Estabilidade no boi gordo sustenta reposição em Rondônia

Pecuaristas têm segurado gado no pasto para resistir a pressão de baixa da indústria
Foto: Scot Consultoria

Em Rondônia as chuvas ainda regulares, principalmente na região Sudeste do estado, garantem a capacidade de suporte das pastagens. Este cenário limita a pressão baixista imposta pelos frigoríficos, tendo em vista que os pecuaristas conseguem endurecer as negociações, retendo a boiada no pasto.

Desta forma, a sustentação no mercado do boi gordo aumenta a disposição dos recriadores e invernistas em investir no mercado de reposição. Pelo lado da demanda, há maior procura por garrotes (9,[email protected]) e bois magros ([email protected]) para serem fechados no cocho ainda neste semestre. Já pelo lado da oferta, há disponibilidade, principalmente, de animais mais jovens. No entanto, a especulação se sobressai em relação aos negócios efetivados.

Usando como exemplo o garrote, desde o início do ano os preços subiram 2,1% e a troca com o boi gordo piorou, saindo de 1,71 garrote para 1,61.

Com isso, daqui em diante, o resultado do confinamento no estado dependerá da atratividade do boi gordo no mercado futuro e também da consolidação dos preços do milho de segunda safra.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

As apostas são altas para o futuro da produção de carne no Brasil. Veja o que dizem as lideranças ouvidas para o Especial Perspectivas 2021 do Anuário DBO. Assista:

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.