[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

Sem balança é impossível falar em gestão na pecuária

Para Moacyr Corsi, professor do Departamento de Zootecnia da Esalq, sem balança, o pecuarista toma decisões baseadas apenas na intuição

Foto: Arquivo Intergado

Por Moacyr Corsi, professor do Departamento de Zootecnia da Esalq. Coautores: Marco Antonio Penati, Miguel Jose Menezes, Miguel M. Shiota e Arlindo J.D. Pacheco Jr (especialistas em sistemas intensivos de produção de bovinos).

Pecuaristas, técnicos e empresários que ainda não perceberam progressos na intensificação pecuária deveriam se preocupar. A agricultura expandiu-se de maneira significativa desde que passou a coletar dados por meio de processos automatizados, inseridos em colhedoras de última geração.

Isso possibilitou medir a produção de cada talhão colhido, avaliar insumos, implementos e recomendações técnicas. Com maior facilidade na coleta de dados, os agricultores puderam tomar decisões mais seguras, obter recordes de produtividade e lucros sustentáveis. Os que não se adaptaram a essa transformação, sofreram perdas, muitas vezes irreversíveis economicamente.

A pecuária caminha no mesmo trilho, porém a passos lentos, devido ao baixo uso da balança nas fazendas de pecuária de corte do País. Estima-se que somente 30% dispõem, atualmente, deste equipamento.

O que isso tem a ver com as pastagens? Tudo. Sem balança, o pecuarista toma decisões baseadas apenas na intuição. Não consegue integrar ou comparar dados nem avaliar sistemas de pastejo e se entusiasma com índices zootécnicos isolados, como por exemplo, a taxa de lotação, o ganho de peso ou a taxa de prenhez. Passa a considerar esses índices como metas, quando eles são apenas referências para obtenção de um lucro sustentável. Lucro este que é resultado da interação positiva de vários indicadores, não de um deles isolado.

VEJA TAMBÉM | Pastos “biodiversos” na mira da pesquisa

A balança é, portanto, imprescindível para determinar a produtividade das fazendas de gado de corte, no geral ou por piquetes, a exemplo dos dispositivos para medição de produtividade nas colhedoras. Sem balança, é impossível falar em gestão na pecuária.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

This post is only available to members.
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp
Skype
Email
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
Email
Tumblr
Print
2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.