Sem saída, frigorífico compra na alta e garante escala de abate

Exportações de carne bovina atingem volume recorde em julho e reforça viés altista na pecuária

Nesta terça-feira, os frigoríficos brasileiros se posicionaram mais ativos nas compras de gado, elevando os valores oferecidos para conseguir preencher as escalas de abate desta semana, informa a consultoria IHS Markit.

O movimento altista é sustentado pelo “apagão” de oferta de animais, tanto os terminados a pasto quanto os provindos dos confinamentos.

Continue a leitura após o anúncio

“Com a baixa disponibilidade de matéria prima e o aumento da procura, as cotações da arroba novamente registraram altas e seguem em patamares recordes para o período em diversas praças no País”, destaca a IHS.

Além do avanço nas vendas no mercado doméstico, o resultado das exportações de carne bovina “in natura” durante o mês de julho confirmou as expectativas e atingiu o maior valor já embarcado no mês, totalizando 169,24 mil toneladas durante os 23 dias úteis. Os dados, divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), representam um aumento de 11% com relação ao mês anterior e de 27% com relação ao mesmo período no ano passado – veja matéria neste portal DBO.

No atacado, os preços dos principais cortes bovinos seguiram firmes nesta terça-feira.

Giro pelas praças

Em São Paulo, o boi gordo segue sustentado em patamar elevado, negociado a R$ 229/@, a prazo, de acordo com dados da IHS Markit.

No Mato Grosso do Sul, a cotação da fêmea subiu nesta terça-feira. Os pecuaristas do Estado adotam uma estratégia de retenção da boiada, alegando dificuldades para fazer a reposição dos plantéis, já que os custos com o gado magro também estão valorizados, informa a IHS.

No Mato Grosso, os negócios no mercado físico ficaram concentrados em animais que atendem aos requisitos internacionais e foram efetuados a valores mais altos que as máximas anteriores.

Em Mina Gerais, os preços do boi também subiram hoje. Frigoríficos exportadores do Estado são os mais ativos no mercado e conseguem garantir valores elevados em função da desvalorização do real frente ao dólar.

No Pará, em meio a escassez do animal terminado, alguns frigoríficos pesquisados pela consultoria IHS Markit reduziram o ritmo dos abates diários, tentando recalcular suas margens entre o preço de venda das carnes e os patamares altos de preços pagos pelos animais. Apesar dessa estratégia, novos lotes só conseguem ser adquiridos no Estado mediante elevação dos valores oferecidos, relata a consultoria.

Confira as cotações para esta terça-feira, dia 4 de agosto, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 229/@ (prazo)

vaca a R$ 215/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 217/@ (à vista)

vaca a R$ 205/@ (à vista)

MS-C. Grande:

boi a R$ 219/@ (prazo)

vaca a R$ 207/@  (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 219/@ (prazo)

vaca a R$ 207/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 197/@ (prazo)

vaca a R$ 186/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 199/@ (prazo)

vaca a R$ 186/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 202/@ (prazo)

vaca a R$ 193/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 203/@ (à vista)

vaca a R$ 189/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 192/@ (à vista)

vaca a R$ 182/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 217/@ (prazo)

vaca R$ 203/@  (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 212/@ (prazo)

vaca a R$ 206/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 217/@ (à vista)

vaca a R$ 202/@  (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 225/@ (prazo)

vaca a R$ 210/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 226/@ (prazo)

vaca a R$ 210/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 222/@ (à vista)

vaca a R$ 215/@ (à vista)

RS-P.Alegre:

boi a R$ 220/@ (à vista)

vaca a R$ 213/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 220/@ (à vista)

vaca a R$ 213/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 212/@ (prazo)

vaca a R$ 206/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 211/@ (prazo)

vaca a R$ 206/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 211/@ (prazo)

vaca a R$ 200/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 214/@ (prazo)

vaca a R$ 204/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 213/@ (à vista)

vaca a R$ 203/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 198/@ (à vista)

vaca a R$ 188/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 209/@ (prazo)

vaca a R$ 197/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 208/@ (à vista)

vaca a R$ 193/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO