[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

Sequestro no início das águas: bom para o boi e para o pasto

Pesquisa mostra que animais confinados nesse período (60 dias) não perdem peso quando voltam ao pasto, até engordam mais. E o capim agradece

Lote do tratamento 3 (confinados na recria com 60% de volumoso e 40% de concentrado) foram abatidos mais pesados.

Por Ariosto Mesquita

Será que bovinos submetidos a uma recria confinada (sequestro) nos primeiros meses de recria (pós-desmama), durante a transição da seca para as águas (outubro/dezembro) perdem peso ao voltar depois para o pasto, em pleno período chuvoso? Pesquisa realizada na Universidade Estadual Paulista (Unesp), unidade de Jaboticabal, SP, em parceria com a Trouw Nutrition, mostra que não. Pelo contrário, usando essa estratégia, o produtor pode entregar um animal superior ao final da terminação. No estudo, a diferença média no abate, a favor dos lotes sequestrados no início da recria, chegou a R$ 35,2 kg por animal e R$ 20,6 kg por carcaça.

O trabalho foi desenvolvido de outubro de 2017 a setembro de 2018, com 81 machos Nelore cedidos por um produtor parceiro. Eles pertenciam ao mesmo grupo contemporâneo e tinham peso médio inicial de 231 kg. O grupo foi dividido em três lotes de 27 cabeças cada, submetidos a três tratamentos diferentes. O primeiro grupo (T1), considerado “controle”, permaneceu a pasto durante toda a recria, recebendo na transição seca/águas (60 dias), um proteico-energético com 25% de proteína, na proporção de 3 g/kg de peso corporal.

Os demais lotes foram “sequestrados” também por 60 dias, com um deles (T2) recebendo ração com 85% de silagem de milho e 15% de concentrado à base de farelo de soja, milho moído, ureia e núcleo mineral com aditivos. O outro lote (T3) recebeu uma dieta contendo 60% do mesmo volumoso e 40% de concentrado.

Entre dezembro e maio (águas), os três grupos permaneceram a pasto (T2 e T3 em áreas vedadas durante os 60 dias anteriores), recebendo suplemento mineral com 80 % de fósforo (P) na ordem de 88 g/cab/dia. A partir de maio de 2018, todos foram confinados para engorda, com direito a ração mais energética (30% de volumoso e 70% de concentrado, consumo à vontade, cochos sempre com a mistura) durante 111 dias. Ao final, eles foram abatidos na unidade do Minerva Foods, em Barretos, SP, com a devida remuneração ao produtor parceiro.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no tumblr
Tumblr
Compartilhar no print
Print

Veja também: