Seu touro está preparado para a estação de monta?

O exame andrológico é que vai atestar a capacidade reprodutiva do animal e garantir maior número de prenhezes
Foto: CPT Cursos.

Importante para o desempenho na estação de monta, o exame andrológico avalia a situação clínica e reprodutiva do touro e se ele está apto para reprodução. Apesar de ter papel importante, sua adoção ainda precisa crescer, diz Alessandra Corallo Nicacio, pesquisadora da Embrapa Gado de Corte. “A gente sabe que tem muito animal que vai para a estação de monta sem andrológico. Não deveria, mas vai. É que não é lei, você não é obrigado a fazer”, explica.

Para ela, não é o custo do exame que faz com que ele não seja adotado em todas as propriedades. “O médico veterinário pode cobrar por animal ou por diária se são vários touros. Em termos de custo, não é elevado. É muito mais falta de se atentar para essa necessidade. Muitos pensam ‘ah, mas eu tive uma boa taxa ano passado, os touros cobriram bem’. Mas do ano passado para esse o que aconteceu com o seu touro?”.

Continue a leitura após o anúncio

“A realidade é que se usa o touro na estação de monta, depois ele vai para o fundo da fazenda, e então vão lembrar dele na próxima estação de monta. Como ele ficou muito tempo parado, é interessante que se faça essa avaliação reprodutiva”, reforça a pesquisadora.

Segundo Alessandra, não é porque o touro emprenha que ele está no seu máximo. “Às vezes esse touro tem a fertilidade um pouco comprometida, é subfértil, e o produtor se prende ao fato de que aquele reprodutor emprenha, mas na plenitude ele poderia fazer 30 bezerros, por exemplo, enquanto está fazendo 15. Uma vaca subfértil é um bezerro que você perde. Com um touro subfértil você perde muito mais”.

Ela explica que em caso de compra ou venda, o exame andrológico deve ter sido feito menos de 30 dias antes. Quando o animal já está na propriedade, a recomendação é que a avaliação seja feita de 30 a 60 dias antes da estação de monta. “Assim, é possível reavaliar o touro em tempo ou adquirir novos animais se necessário”. O pecuarista também pode optar por fazer um exame ao término da estação para saber como ficou a condição reprodutiva do animal depois do período.

Com a estação de monta começando a partir de outubro na maior parte das propriedades, o exame já deveria ter sido feito nos touros. “Mas se não fez ainda e não começou a estação de monta, corre e faz. O produtor só não terá muito tempo hábil para contornar qualquer problema que possa encontrar nesses animais”, afirma Alessandra.

Exame

O exame andrológico é feito por médicos veterinários e dividido em dois: o físico-clínico para avaliar as condições gerais de saúde do animal e o específico, em que será analisada toda a parte reprodutiva, como testículos, pênis e glândulas que produzem parte do líquido seminal, explica Alessandra. Além disso, é coletada uma amostra de sêmen do animal. “Algumas análises já são feitas no curral, porque depois o sêmen perde qualidade e você não consegue fazer. Mas há também as análises tardias, que o médico veterinário mesmo faz ou então envia para um laboratório”. Depois disso, o profissional emitirá um laudo em que diz se o animal está apto para reprodução, apto com reservas – especificando as observações em relação a isso – ou não apto.

Fonte: Portal DBO.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO