Tendência de baixa do boi continua, mas arroba não cai fácil 

Mercado brasileiro desta quinta-feira (26/11) mostra a indústria com enorme dependência de lotes provenientes de confinamentos para atender a programação de abates
No curto prazo, ainda há possibilidade de testes pelas indústrias para redução dos preços do boi godo, porém com incerteza quanto aos limites desses ajustes, relata a Scot Consultoria. “A redução das exportações, típica de final de ano, corrobora para o aumento de atenção ao mercado”, alerta a Scot.
Segundo a IHS Markit, nesta quinta-feira (26/11), o mercado físico da boiada gorda ainda mostrou espaço para modestas variações negativas nos preços da arroba. “Embora o fluxo de negócios continue evoluindo de forma cadenciada, a disponibilidade de animais posta à venda no mercado físico se mostra aparentemente suficiente para atender a demanda vigente das indústrias, que buscam emplacar novas compras a preços mais baixos”, informa a IHS.
Frigoríficos alegam estreitamento das margens operacionais, uma vez que, mesmo que os preços da carne bovina tenham subido no atacado durante o mês de novembro, as altas não foram suficientes para mitigar o repasse total dos custos, observa a IHS Markit.
Uma parte das indústrias afirma aguardar uma melhor definição das vendas externas da proteína nesta etapa final do ano, sobretudo por parte da China. “Há fábricas que aguardam por novas remessas de divisas pelos compradores chineses para retomar as compras de gado gordo”, relata a IHS•
Neste contexto, continua a IHS, o efeito da restrita oferta de animais prontos para abater serve como base de apoio para limitar a intensidade das quedas nos preços do boi gordo. Segundo a consulta, as indústrias mostram enorme dependência de lotes provenientes de confinamentos para atender a programação de abate no período de maior consumo do ano.
No atacado, as vendas de carne bovina ainda mostram irregularidades, com um fluxo aquém das expectativas, diz a IHS Markit. A queda nos preços das carnes concorrentes continua prejudicando um avanço mais consistente do consumo de cortes bovinos, informa a consultoria.
“As expectativas se voltam para a virada de mês, sobretudo com a entrada do décimo terceiro salário e outras bonificações inerentes ao período do ano que devem atenuar o quadro de morosidade e destravar o mercado de boiada gorda”, prevê a IHS.
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Sou pecuarista e esse frigorífico é meu

Leia a Revista DBO que encerra o ano de 2020. Ela conta a mais nova façanha da Cooperaliança, a primeira cooperativa a verticalizar a cadeia da carne bovina, além de trazer outras 25 reportagens e artigos.

Sou pecuarista e esse frigorífico é meu

Leia a Revista DBO que encerra o ano de 2020. Ela conta a mais nova façanha da Cooperaliança, a primeira cooperativa a verticalizar a cadeia da carne bovina, além de trazer outras 25 reportagens e artigos.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.