Tocantins inicia o período do vazio sanitário da soja

Fica proibido em todo o Estado o plantio e a manutenção de plantas vivas da oleaginosa em lavouras de sequeiro até o dia 30 de setembro
Sojicultores devem ficar atentos ao cumprimento do vazio sanitário da oleaginosa para controle da ferrugem asiática. Foto: Lenito Abreu

Começa nesta quarta-feira, 1º de julho, em todo o Estado do Tocantins, o período do vazio sanitário da soja, onde fica proibido o plantio e a manutenção de plantas vivas da oleaginosa em lavouras de sequeiro até o dia 30 de setembro. A medida é uma forma de prevenção e controle da ferrugem asiática, principal praga que ataca a cultura.

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), órgão que fiscaliza o cultivo de soja no Estado, realizará a partir desta quarta-feira, o monitoramento e a fiscalização no campo para garantir que não haja plantas vivas.

Esse trabalho será realizado em todas as regiões do Estado, e contamos com a parceria dos sojicultores, que são conscientes da importância do vazio sanitário para o controle da ferrugem asiática,” disse Alberto Mendes da Rocha, presidente da Adapec.

A instituição orienta os produtores a eliminarem todas as plantas de soja voluntárias ou não, por meio de controle químico ou mecânico. A entidade lembra que o processo de eliminação é de responsabilidade exclusiva do proprietário ou ocupante da área. “Quem manter a plantação de soja ou não eliminar as plantas voluntárias estará sujeito a sanções previstas em lei,” alerta.

Na safra 2019/2020 foram cadastradas junto a Adapec mais de 1.600 propriedades e segundo dados da Conab foram cultivadas no Tocantins 1.070.000 hectares de soja, sendo 1.010.000 de soja sequeiro e 60.000 nas várzeas tropicais.

Plantio nas várzeas tropicais

De acordo com a legislação, fica autorizado durante o período proibitivo do vazio sanitário, apenas o cultivo excepcional de soja para fins de pesquisa e produção de sementes exclusivo nas áreas de várzeas tropicais sob sistema de subirrigação, que compreendem os municípios de Lagoa da Confusão, Dueré, Pium, Santa Rita, Formoso do Araguaia e Guaraí.

Saiba mais: Ferrugem Asiática da Soja

É a principal praga que acomete a oleaginosa, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi. Ela dissemina rapidamente entre as plantações através do vento. Os maiores prejuízos causados é a redução da produtividade, já que causa desfolha precoce nas plantas, impedindo que os grãos de soja se formem completamente. O vazio sanitário é uma importante forma de prevenção da doença.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Cadastre-se e receba nossas notícias

Todos os dias no seu e-mail melhor conteúdo do agronegócio. 

Quais newsletter você gostaria de receber?
Notícias diárias (resumo do dia)Jornal de Leilões (semanal)