UE fecha acordo para reduzir consumo de commodities ligadas a desmatamento

De acordo com o comunicado do Conselho Europeu, os líderes políticos também concordaram em “simplificar e esclarecer” o sistema de diligência ambiental

O Conselho Europeu, órgão que define a agenda política da União Europeia (UE), concordou nesta terça-feira (28) com uma proposta para limitar a entrada e exportação de commodities cuja produção contribuiu para o “desmatamento ou degradação florestal” em todo o mundo.

Segundo o acordo, regras foram estabelecidas para operadores que “colocam, disponibilizam ou exportam” óleo de palma, carne bovina, madeira, café, cacau e soja, além de alguns produtos derivados, como couro, chocolate e peças de mobília.

“Devemos garantir que os produtos que consumimos na Europa não contribuam para o esgotamento das reservas florestais do planeta. O texto inovador que adotamos permitirá combater o desmatamento dentro da UE, mas também fora dela. Este é um grande passo em frente que também ilustra a nossa ambição para o clima e a biodiversidade”, disse a ministra para Transição Energética da França, Agnès Pannier-Runacher.

De acordo com o comunicado do Conselho Europeu, os líderes políticos da UE também concordaram em “simplificar e esclarecer” o sistema de diligência ambiental que rege a atividade do mercado de commodities.

SAIBA MAIS | Sustentabilidade: representantes do Imac se reúnem com lideranças da Europa

Foi adotado ainda um sistema de avaliação comparativa, que classifica em três níveis diferentes o risco de desmatamento para determinadas produções.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.