Agricultor com maior produtividade de soja do Brasil colhe 118,82 sacas por hectare

Volume da produção é mais do que o dobro da média nacional para a safra atual
Laercio Dalla Vechia, do Paraná, colheu mais do que o dobro da média nacional e foi o campeão da 12ª edição do Desafio CESB. Foto: Divulgação

O produtor Laércio Dalla Vechia, do município de Mangueirinha (PR), é o grande vencedor da 12ª edição do Desafio Cesb de Máxima Produtividade de Soja. Dalla Vechia registrou uma produção de 118,82 sacas de soja por hectare na safra 2019/2020. O resultado foi divulgado nesta terça-feira, 14 de julho, no Fórum Nacional de Máxima Produtividade de Soja, organizado pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), entidade sem fins lucrativos formada por profissionais e pesquisadores de diversas áreas do agronegócio, em 2008.

A edição desse ano mostrou uma disputa acirrada entre os sojicultores. O segundo maior patamar de produtividade foi registrado por Antonio Quedes de Oliveira Neto, de Patrocínio (MG), de 118,63 sacas por hectare, resultado que o coloca como campeão da região Sudeste.

No total, participaram da disputa 5.204 agricultores de 11 Estados, com destaque para o Paraná com 1.613 produtores. A  média de produtividade da safra de 2019/20, alcançada no concurso ficou em 83,1 sacas por hectares, ante 80 sacas do concurso da safra 2018/2019.  Os dados obtidos no desafio da produtividade estão longe da realidade de campo e mostra o potencial do grão brasileiro. De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a safra atual, a estimativa para a atual safra é de 55,5 sacas, por hectare, como média nacional.

Desde que o Cesb iniciou a competição, a produção máxima do concurso foi de 149,08 sacas na safra 2016/2017, obtido pelo produtor Marcos Seitz, de Guarapuava (PR). Lembrando que aquele ano foi um período excepcional para a soja brasileira.

‘Segredos’ da alta produtividade

Para o atual campeão do desafio do Cesb, atingir um alto nível de produtividade significa muito trabalho sem descuidar do chamado “tripé básico” da agricultura. “Unimos os trabalhos nas condições físicas, biológicas e químicas do solo para conseguir um bom resultado. É o básico bem feito“, diz Della Vechia. O agricultor conquistou a categoria nacional no plantio em sequeiro. “Choveu um pouco abaixo da média, mas foi o suficiente para a planta se manter no início do cultivo. Além disso, nessa safra fez mais calor na nossa região, o que nos beneficiou, pois ajudou na fotossíntese da planta.”

Um ponto em comum observado entre os vencedores do Desafio de Máxima Produtividade de Soja é o manejo simples, a rotação de cultura e o monitoramento da lavoura. O diretor explica que para conseguir a física do solo é necessário uma estratégia de longo prazo.

Alguns fatores identificados nesses últimos 12 anos, entre os produtores que tiveram aumento da produtividade, é a correção do perfil do solo em camadas mais profundas e a formação do perfil do solo,” afirma Nilson Caldas, diretor de marketing do Cesb. “Obviamente, ele não vai conseguir isso em uma estratégia de curto prazo. Muitos produtores utilizam a rotação de cultura aliada a várias técnicas como, por exemplo, a velocidade do plantio.

 

No caso de Neto, o segundo colocado, o segredo também passa pela tecnologia. “Tivemos um trabalho muito forte na agricultura de precisão, chegando a uma excelente estrutura de solo para plantar, o que fez a diferença”, afirma o sojicultori.

Saiba mais: Campeão da 12ª edição do Desafio Cesb

Este foi o quinto ano que Dalla Vechia se inscreveu no Desafio de Máxima Produtividade. “Ano após ano eu mudo algo no meu manejo para tentar elevar o patamar. Tenho o Desafio como inspiração, vejo os outros produtores alcançando altos níveis e me pergunto: como eu faço para conseguir melhorar a minha lavoura e chegar a esses níveis também?”, diz o campeão.

Leonardo Sologuren, presidente do Cesb, lembra que nesta safra os sojicultores enfrentaram maiores dificuldades. Dados do sistema de precisão meteorológica Agrymax, levantados pelo CESB, demonstraram que os sojicultores tiveram quebras de produtividade de até 63%. “Porém vemos o ótimo trabalho que os produtores tiveram para contornar essa situação, alcançando altos níveis de produtividade. Nesta safra tivemos 284 sojicultores chegando a resultados acima de 90 sacas por hectare”, afirma. A

A fazenda de Dalla Vechia possui 250 hectares. Desse total, 190 hectares são destinados ao plantio. O comitê do Cesb lembra que o talhão do produtor não teve nenhuma aplicação de inseticida. “Isso é motivo de orgulho pra mim, pois não só economizei dinheiro, como obtive um resultado incrível”, comemora o produtor.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.