[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

Revista DBO | MS troca quantidade por mais eficiência

Em 10 anos (2011 à 2021), Estado perde 14% do rebanho e abates caem 5%, mas produção de carne bovina aumenta 6,5%

Por Ariosto Mesquita

No início do milênio, o Mato Grosso do Sul ostentava o título de maior rebanho bovino do País. Em 2004, por exemplo, liderava o ranking nacional com quase 25 milhões de cabeças, segundo dados da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro). Com o passar dos anos, esse quadro mudou. Em 2021, MS ficou em 5º no ranking do IBGE, com 19,02 milhões de bovinos, atrás de MT (32,7 milhões), GO (23,6 milhões), PA (22,3 milhões) e MG (22,2 milhões), mas essa queda em efetivo foi compensada pelo avanço em produtividade.

Nos últimos 10 anos (2011 à 2021), o Estado perdeu 14% do rebanho e registrou queda de 5% nos abates, mas produziu 6,5% mais carne (entre 750.000 e 800.000 t). O indicador “quilo de carne por cabeça abatida” aumentou 10,2% entre 2008 (235 kg) e 2020 (259 kg). Enquanto isso, em 12 anos (2009 à 2021), a produtividade média dos municípios “top 10” na pecuária de corte sul-mato-grossense subiu 27,2%, passando de 5,5 para [email protected]/ha.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

This post is only available to members.
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp
Skype
Email
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
Email
Tumblr
Print
2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.