[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

Período de transição exige planejamento

Garantir oferta de forragem e suplementação moderada são chave na transição do período das águas para a seca

Pecuarista tem de atentar para o equilíbrio entre consumo de forragem e de suplemento.

Por Moacir José

Fim do verão, começo do outono; período de transição das águas para a seca. O pasto vai perdendo qualidade e é preciso tomar providências para que o gado não perca peso, configurando o que se convencionou chamar de “boi sanfona” (ganha peso nas águas e perde na seca…) E mesmo que não perca, é preciso calibrar o ganho, de acordo com o que o pecuarista pensa em fazer mais adiante.

Três especialistas ouvidos por DBO na área de nutrição são unânimes em afirmar que, independentemente da estratégia, o manejo adequado do pasto é fator fundamental para se ter sucesso na estratégia, que, forçosamente, vai demandar o uso de algum tipo de suplementação. Se ele for bem conduzido, o gasto com o suplemento terá retorno na medida certa; se não, o pecuarista gastará mais do que seria necessário, o que nunca é bom.

Luiz Orcírio de Oliveira, pesquisador da Embrapa Gado de Corte.

Luiz Orcírio Fialho de Oliveira, doutor em Ciência Animal e pesquisador da área de nutrição animal da Embrapa Gado de Corte, de Campo Grande, MS, é categórico ao dizer que é preciso privilegiar a forragem da fazenda, não o animal, no sentido de conciliar oferta de matéria verde com a de concentrado. “Normalmente, o produtor foca mais no animal. O problema disso é que, lá na frente, pode faltar pasto para todo o rebanho, o que implica queda no desempenho de todos os animais”, explica.

Segundo ele, de maneira geral, a suplementação equivalente à faixa de 0,1% a 0,3% do peso vivo do animal mantém um equilíbrio entre o consumo de forragem e suplemento. Ou seja, o animal não deixa de comer forragem para comer o suplemento, o que passa a acontecer quando essa proporção fica acima dos 0,3%. “Existem inúmeras estratégias para se conseguir esse equilíbrio, inclusive a suplementação com volumoso (feno ou silagem de capim). Mas o que o pecuarista precisa fazer, antes, é montar um plano de gestão”, recomenda.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no tumblr
Tumblr
Compartilhar no print
Print

Veja também: