Menu
Menu

Abraleite vê “extremo risco” para a cadeia produtiva do leite

"Custo Brasil tira a competitividade do nosso leite, que é um dos mais caros para se produzir", diz Geraldo Borges
Foto: Divulgação Abraleite

Em conversa com o Portal DBO pelo Whatsapp nesta quinta- feira o presidente da Abraleite, Geraldo Borges, fez a seguinte avaliação da retirada das tarifas antidumping para o leite importado da União Europeia e Nova Zelândia:

+Governo libera importação de leite da Europa e Nova Zelândia
+FPA diz que suspensão da taxa de antidumping pode trazer prejuízos aos produtores
+Faesc condena fim da tarifa antidumping para o leite importado

“A retirada das medidas antidumping, que eram as tarifas de 3,9% para o leite em pó da Nova Zelândia e 14,8% para o leite em pó da Comunidade Européia, oferece extremo risco à cadeia produtiva do leite Nacional.

A única medida que tínhamos que segurava a entrada em grandes volumes de leite em pó principalmente da Europa, que possui algo em torno 250 mil toneladas de leite em pó estocadas, eram essas tarifas antidumping.

O imposto de importação continua vigorando, que é de 28%, porém temos que lembrar que os países europeus e a Nova Zelândia têm alta eficiência de produção, possuem incentivos/subsídios dos seus governos e em decorrência disso detêm preço extremamente competitivo e poderão jorrar toneladas de leite em pó dentro do Brasil, o que poderia ser o fim da cadeia produtiva leiteira brasileira, já que o leite do Mercosul (Uruguai e da Argentina) já incomoda bastante por não ter limites de importação, tornando a nossa cadeia totalmente desequilibrada. Volumes expressivos, principalmente da Comunidade Europeia, poderiam causar um estrago muito maior à nossa cadeia produtiva, principalmente para os produtores de leite, cooperativas de produtores de leite e pequenos laticínios.

É importante entender – e temos tentado fazer o Ministério da Economia, na pessoa do ministro Paulo Guedes, o secretário Marcos Troyjo e toda equipe enxergar – que a cadeia produtiva do leite nacional carrega nas costas um custo Brasil que inviabiliza sermos competitivos, ou seja, o nosso leite é o mais caro para se produzir talvez no planeta.

Somado ao fato que não temos nenhum tipo de incentivo ou subsídio para nossa cadeia produtiva do leite, facilmente podemos entender que o leite produzido em países com menos carga tributária, menos encargos ou nenhum encargo social e com outras assimetrias, pode entrar aqui no nosso mercado e causar mais transtorno.

A Abraleite está firme trabalhando e cobrando o governo federal para a solução deste problema, com apoio da ministra da agricultura, Tereza Cristina, que está empenhada para interceder junto ao Ministério da Economia para que a equipe econômica compreenda a dificuldade da cadeia produtiva do leite do Brasil e tome outras decisões que viabilizem esta cadeia.”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on email
Email
Share on tumblr
Tumblr
Share on print
Print

Veja também:

SOBRE A MÍDIA DBO

A DBO Editores Associados, fundada em junho de 1982, sempre se caracterizou como empresa jornalística totalmente focada na agropecuária. Seu primeiro e principal título é a Revista DBO, publicação líder no segmento da pecuária de corte. O Portal DBO é uma plataforma digital com as principais notícias e conteúdo técnico dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da cobertura dos leilões de todo o Brasil.

ANUNCIE DBO

Acompanhe aqui o vídeo da edição mais recente da Revista DBO. Para ver os destaques das outras edições, basta clicar aqui.

ASSINE A REVISTA DBO

Revista DBO Ligue grátis: 0800 110618 (Segunda a sexta, das 08h00 às 18h00)

2018 DBO - Todos os direitos reservados

×

Carrinho

Você + Portal DBO

Cadastre-se gratuitamente em nossa newsletter e receba diariamente o melhor do agronegócio em seu e-mail.